Pular para o conteúdo principal

Leituras em dezembro de 2019

PIPER, John. Uma glória peculiar. Como a Bíblia se revela completamente verdadeira. São Paulo: Editora Fiel, 2019. A Glória de Deus Vista nas Escrituras Deus mesmo providenciou um meio para que todos os povos, indistintamente, conheçam a Bíblia, a Palavra de Deus. Piper tem dedicado sua vida para ensinar que a glória de Deus é o objeto da felicidade da alma. Agora, neste livro, ele ensina que esta mesma glória é a base da certeza da mente. O argumento de Piper é que a glória de Deus brilha por toda sua palavra revelada e é o Espírito de Deus quem ilumina os olhos e os corações, dando entendimento ao ensino das Escrituras que se auto-autenticam e dão certeza à mente e satisfação ao coração. Segurança e alegria se encontram na glória peculiar de Deus que se vê nas Escrituras. Contém 374 páginas. 

ALEXANDER, T. Desmond. Do paraíso à terra prometida. Uma introdução aos temas principais do Pentateuco. São Paulo: Vida Nova, 2010. O que liga Abraão a Moisés? Como os cinco primeiros livros da Bíblia se encaixam? Por que há tantos detalhes na descrição do tabernáculo e dos sacrifícios? T. Desmond Alexander trata o Pentateuco como uma composição completa, temática e teológica, cujos temas como santuário, monarquia e terra mantêm coesos seus diferentes livros, apresentando-o como uma unidade. Ainda assim, sua diversidade de tópicos recebe tratamento substancial e perspicaz. Explica sua mensagem como Palavra de Deus para o Israel antigo e para a igreja atual, estabelecendo o fundamento da teologia cristã, de modo que interagir com o Pentateuco proporcionará um entendimento apropriado de toda a Bíblia. Contém 224 páginas. 

CRABB, Larry. Em nome do Pai. São Paulo: Mundo Cristão, 2009. "Papá". Era essa a forma de tratamento dirigida ao avô de Larry Crabb em casa. O apelido era tanto uma demonstração de afeto quanto o reconhecimento da sabedoria, do carinho e da autoridade de um homem que sempre demonstrou amor e zelo pela família. Para ele, não havia nada mais importante e prioritário que conviver com aqueles a quem queria tão bem. A partir dessa reminiscência, Crabb desenvolveu a oração PAPA, uma abordagem muito interessante e original do relacionamento entre Deus e seus filhos, baseada em quatro atitudes. Descubra como desenvolver a intimidade com Deus, alcançando um nível de comunhão nunca antes imaginado. O livro é um convite a todos que desejam voltar à posição privilegiada para a qual o Criador os destinou e devolver à oração seu propósito mais elevado. Contém 190 páginas. 

POYTHRESS, Vern. Senhorio de Cristo. Brasília: Editora Monergismo, 2019. Jesus Cristo não era apenas um ser humano. Ele não era apenas um famoso mestre religioso. JESUS CRISTO É O SENHOR DE TODAS AS COISAS. Essa reivindicação radical da Bíblia tem profundas implicações para todas as áreas da vida — para todas as pessoas e todas as facetas da sociedade. Baseando-se em textos bíblicos-chave, Poythress explora o que o reconhecimento da autoridade de Cristo significa para a forma como devemos pensar e agir. Analisando como essa autoridade afeta esferas da vida tais como a religião, política, ciência, artes, educação e o futuro, Poythress nos ajuda a buscar a obediência a Cristo como uma expressão de nossa gratidão e devoção — e de nossa expectativa da alegria prometida quando o servimos de todo o nosso coração. Contém 250 páginas. 

PONDÉ, Luiz Felipe. Guia politicamente incorreto da filosofia. Rio de Janeiro: Editora Leya, 2012. Em 'O Guia Politicamente Incorreto da Filosofia', Luiz Felipe Pondé busca desbravar a história do politicamente correto, através do pensamento de grandes filósofos, como Nietzsche, Darwin, o escritor Nelson Rodrigues, entre outros. Dividido por temas, a obra se baseia em conceitos defendidos por grandes filósofos do mundo inteiro para abordar assuntos como capitalismo, religião, mulheres, instintos humanos, preconceito, felicidade e covardia. Contém 230 páginas. 

MAXWELL, John C. Até onde você vai? Rio de Janeiro: Thomas Nelson, 2014. As atitudes falam mais sobre a pessoa do que as palavras. Elas revelam o que está na alma. São capazes de moldar relacionamentos e a forma como se encara a vida. Por vezes, elas são a única diferença entre o sucesso e o fracasso ou a transformação do problema em bênção. Maxwell ajudará os leitores a confrontar suas atitudes diante dos desafios pessoais e profissionais. Reconhecido mundialmente como um dos principais especialistas em liderança, ele lembra que, assim como o avião tem no indicador de atitude um instrumento fundamental para guiar o piloto, nossas disposições devem estar sempre sob vigilância constante. Aceite o convite para esse voo. Estabeleça atitudes que conduzirão você até o caminho mais alto e excelente. Deus garante, por meio das Escrituras Sagradas, que você jamais voará sozinho. Contém 176 páginas. 

DOOYEWEERD, Herman. No crepúsculo do pensamento Ocidental. Brasília: Editora Monergismo, 2018. Organizado a partir de uma série de conferências proferidas nos Estados Unidos e no Canadá em 1958, Dooyeweerd aborda neste livro alguns dos temas centrais de sua obra: a pretensa autonomia do pensamento filosófico, o historicismo e o sentido da história, a distinção entre filosofia e teologia, e uma antropologia radicalmente bíblica. Em tudo isso, salta aos olhos, nas palavras de Rousas Rushdoony, “a insistência [de Dooyeweerd] em que só a filosofia verdadeiramente cristã pode ser crítica e que a filosofia não cristã é inevitavelmente dogmática”. Ao chamar a atenção para os compromissos pré- e suprateóricos, o autor apresenta uma espécie de catálogo dos motivos básicos apóstatas dominantes: o motivo grego forma-matéria, o motivo escolástico natureza-graça e o motivo humanista natureza-liberdade. Em seguida contrasta-os com o motivo bíblico radical criação-queda-redenção e, com este conceito, empreende uma reforma do pensamento. Contém 275 páginas. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Estudo 26: A mulher sunamita: generosa e hospitaleira - (II Reis 4.8-37)

Há um cântico que nos ensina muito é o Salmo 37.4-5, a letra diz:
“Agrada-te do Senhor e ele fará aquilo que deseja o teu coração. Entrega o teu caminho ao Senhor, e o mais ele fará. Descansa no Senhor e espera nele. Pois, ele é a tua salvação, ele é o teu castelo e o teu refúgio na tribulação. Confia no Senhor e ele agirá, confia no Senhor e ele agirá“ [1].  É exatamente sobre essa providência de Deus na vida do seu povo que quero falar, usando esse exemplo da mulher sunamita. Esta que foi agraciada por Deus pela instrumentalidade do profeta Eliseu. Sabemos que o significado do nome de Eliseu é: Jeová é salvação. A meu ver combina com sua missão como profeta desse período. Ele foi um dos maiores profetas desse período juntamente com o seu antecessor, o profeta Elias. Ambos foram profetas no Reino do Norte de Israel. Eliseu era filho de Safate, habitava em Abel- Meolá do Vale do Jordão e pertencia a uma família próspera. Quando Elias estava no monte Horebe desanimado e triste, Deus fa…

Emoção X Razão: Mulheres agem de forma emocional, homens se comportam racionalmente

Recentemente li o livro Homens são de Marte, mulheres são de Vênus de John Gray. Ele diz que quando se aborrecem, os homens querem silêncio e solidão. Já entre as mulheres, as preocupações resultam na matraca desenfreada, pois, falando acalmam-se. O ego masculino é movido à base de conquistas, o feminino é pura emoção. Ele deve escutá-la, e ela deve compreender seu silêncio. Conclusão: marido e mulher não falam a mesma língua, não são do mesmo planeta. Na maioria dos processos normais, a mulher age de forma emocional, enquanto o homem se comporta de forma racional. Na nossa cultura costumamos dizer que os homens são insensíveis, durões e bem insensíveis. E com respeito às mulheres que elas são pura emoção e coração. John Gray diz que “quando os homens e mulheres são capazes de respeitar e aceitar suas diferenças, então o amor tem uma grande chance de desaborchar” (GRAY, John. Homens são de Marte, mulheres são de Vênus. São Paulo: Editora Rocco, 1997, p. 24). O grande problema é que convi…

Histórias da vida

A mentalidade dogmática deseja prender a verdade na malha das suas palavras, entendo que ela se equivoca. Acredito que nós aprendemos, falamos e escrevemos interpretando cada ponto da nossa história de vida. Na interpretação passam verdades, mas nunca absolutas, nossa história tem várias facetas.  Temos um quadro da nossa história e ela vai acontecendo com várias interpretações e olhares dentro de nós mesmos. Gosto demais de relembrar a história da minha vida. Lembro-me sempre dos momentos bons e ruins dela. Eu tive momentos de profunda tristeza, mas neles, vi o mover de Deus me ensinando a passar pelos vales dela, com a percepção da graça divina em mim sempre. Vi amigos chegados morrendo, vi amigos conquistando e perdendo. Vi histórias de vidas sendo tocadas por Jesus Cristo de Nazaré. Como é bom poder enxergar o passado com graça e com a noção no íntimo de que Deus esteve presente em cada detalhe.  As histórias serão sempre histórias contadas por nós dentro da alma e do coração. Cada …