Pular para o conteúdo principal

Leituras realizadas em 2018


-->
1.             LUDOVICO, Osmar. Inspiratio. São Paulo: Mundo Cristão, 2017. Osmar Ludovico é um daqueles autores cujos escritos tocam a alma no mais profundo de sua sensibilidade espiritual. Cada texto seu remete a um recôndito esquecido do ser, a uma reflexão valiosa, ao desejo de mudar atitudes irrefletidas, a uma conexão íntima com Deus na profundidade do coração. Mais do que um escritor, ele é um pensador piedoso, capaz de conectar quem o lê a aspectos constantemente esquecidos pelos cristãos em meio à correria do dia a dia e a uma vida eclesiástica barulhenta e, por vezes, frenética. O autor propõe uma caminhada de fé que vai na contramão dos modismos, dos grandes espetáculos, da religiosidade superficial, do que é exuberante, mas vazio. Ele propõe um retorno ao simples, ao silencioso, ao pequeno e ao profundo como o caminho para um encontro sem igual com Deus. Ele contém 208 páginas.

2.             GROESCHEL, Craig. Ego no altar. São Paulo: Vida, 2014. Pegue a ideia que você tem de identidade própria e deposite-a sobre o altar. Sacrifique-a. Porque, enquanto não sacrificar esse conceito fracassado de identidade, você não se transformará em quem foi feito para ser. Quando pomos nossos falsos rótulos e o nosso autoengano sobre o altar da verdade de Deus, descobrimos quem de fato somos. A partir daí, em vez de um ego voltado para o exterior, fundamentado na aprovação alheia, aprendemos a viver com o ego no altar, a visão de Deus da pessoa em quem nos devemos transformar. Descubra como se livrar do seu ego arruinado e libertar seu ego sobre o altar, de modo que se converta em um sacrifício vivo. Conheça sua verdadeira identidade pela primeira vez. Cresça no caráter de Cristo. Seja ousado ─ em como se comporta, nas orações que faz, em sua obediência. Com uma nova consciência de quem você de fato é em Cristo, prepare-se para abraçar a vida na confiança do Deus que acredita em você. Ego no altar revela quem Deus diz que você é e o conclama a viver de acordo com essa verdade. Contém 199 páginas.

3.             CARSON, D.A. Mark Ashton, Kent Hughes e Timothy Keller. Louvor. Analise teológica e prática. Rio de Janeiro: Thomas Nelson, 2017. O que é louvor? O que significa cultuar Deus efetivamente na vida cotidiana? Por mais que a adoração seja um tema recorrente entre os cristãos, as características atribuídas a ela variam de acordo com as tradições. É a união entre os princípios e a prática do culto que D.A. Carson, Mark Ashton, Kent Hughes e Timothy Keller exploram em Louvor: análise teológica e prática. Após uma introdução sobre o que significa adorar de acordo com a Bíblia, o livro oferece ao leitor exemplos litúrgicos de diferentes denominações cristãs, mostrando como é possível partir da base teológica para o culto coletivo segundo tradições muito distintas entre si. Louvor não é um manual de “como fazer”, mas um panorama de cultos autênticos de cristãos em busca de um encontro verdadeiro. Ele contém 268 páginas.

4.             SPURGEON, C. H. Conselhos para obreiros. São Paulo: Vida Nova, 2015. O príncipe dos pregadores orienta os ministros da igreja. Essa obra é uma coletânea de sábias e experientes instruções bíblicas para todo aquele que se engajou no ministério cristão, independentemente de sua área de atuação na igreja, cargo ou grau de experiência. Todos os conselhos de Charles Spurgeon aqui compilados estão em plena harmonia com o evangelho, que ele faz questão de definir com clareza bíblica e de situar no centro do ministério cristão. Contém 160 páginas.

5.             HARRIS, Joshua. Ortodoxia humilde. São Paulo: Vida Nova, 2013. O renomado autor Joshua Harris examina os ensinos do Novo Testamento sobre o chamado para que os cristãos tenham uma coragem permeada de amor, que ignora controvérsias tolas, suporta o mal pacientemente e defende a verdade com espírito generoso. Sem esse tipo de humildade, Harris afirma, nós nos tornamos como os fariseus — corretos em nossa doutrina, mas alguém que prejudica a defesa da verdade com nosso orgulho. Ele contém 96 páginas.

6.             KNOX, John & João Calvino. Oração e a vida crista. São Paulo: Vida, 2016. O livro chega para celebrar as obras Tratado sobre a oração, de John Knox, e o livro Sobre a vida cristã, de João Calvino, proeminentes da Reforma Protestante na Suíça, França e Inglaterra. O primeiro apresenta uma declaração sobre o que é a oração verdadeira, como e pelo que devemos orar em uma série de orações que demonstram grande maturidade e compaixão, servindo como base para instruir os cristãos que vivem sob tirania. Já Calvino instrui sobre o sistema moral das Escrituras, a santidade de Deus, a redenção e estímulos para imitar Cristo e seguir uma vida cristã piedosa com perseverança mediante a obediência à vontade divina e a autonegação. Ele contém 128 páginas.

7.             CLOUD, Henry e John Townsend. Limites para ensinar aos filhos. São Paulo: Vida, 2011. Todos os pais querem que seus filhos se tornem adultos equilibrados e responsáveis. No entanto, talvez já tenham descoberto que não basta simplesmente dar ordens. Nos acessos de raiva da criança ou nas tentações do adolescente, precisam ajudar os filhos a controlar o temperamento, os sentimentos e as atitudes.  Como fazer isso? A receita é estabelecer limites saudáveis. Os limites são uma base segura para desenvolver bons relacionamentos, obter maturidade, segurança e equilíbrio na vida. Limites para ensinar aos filhos ajudará os pais a preparar os filhos para assumir responsabilidade com o próximo e consigo mesmos. Henry Cloud e John Townsend mostram como trazer equilíbrio à vida familiar, impor limites com amor e desenvolver nos filhos o caráter que servirá de base no futuro para uma vida produtiva e saudável. Finalmente, Cloud e Towsend facilitaram para os pais o trabalho de ensinar aos filhos o que gostariam de ter aprendido quando tinham a idade deles: estabelecer limites saudáveis. Não há época melhor para reforçar as ideias de ser responsável e assumir o controle da própria vida. Ele contém 280 páginas.

8.             CALVINO, João. Oração: Exercício contínuo da fé. São Paulo: Vida, 2016. Em 31 de outubro de 2017, celebra-se o quinto Centenário da Reforma Protestante. Na mesma data de 1517, o monge agostiniano Martinho Lutero pregou na porta da igreja do castelo de Wittenberg um protesto contra diversos pontos da doutrina da Igreja Católica Romana, propondo uma reforma no catolicismo. Os cinco pilares sobre os quais a Reforma Protestante está firmada são: Sola Fide – Somente a fé. Sola Scriptura – Somente a Escritura Sagrada. Solus Christus – Somente Jesus Cristo. Sola Gratia – Somente a graça. Soli Deo Gloria – Glória somente a Deus. João Calvino foi o mais proeminente reformador da Suécia e França. Ficou conhecido primariamente pelas Institutas, mas o conjunto de usa obra abrange ainda temas essenciais para o cristianismo como a oração e a vida cristã. Em Oração: o exercício contínuo da fé, Calvino apresenta a oração não somente como um exercício que deve ser realizado sem cessar, mas também os benefícios advindos dele. O autor indica a quem e por meio de quem as orações devem ser apresentadas, bem como refuta a intercessão dos santos. Além disso, também apresenta a natureza da oração, a invocação perfeita (Oração do Senhor) e regras a respeito da oração (tempo, perseverança, certeza da fé, entre outras), levando o leitor ao crescimento diário da comunhão com o Pai. Ele contém 144 páginas.

9.             DURAN, Márcio Pobres e Ricos – Uma fábula econômica e os ensinamentos justos de Jesus de Nazaré. São Paulo: Garimpo, 2012. Este livro busca ajudar o leitor a compreender melhor a lógica da conjuntura econômica internacional e suas implicações no Brasil e nas comunidades pobres. O autor pretende apontar para as questões mais profundas dos processos de empobrecimento massificados e enriquecimento ilícito de poucos ‘privilegiados’ da aldeia global. Na vida e no ministério de Jesus Cristo de Nazaré, o autor deve encontrar a inspiração e o estilo de vida simples, para romper com o ciclo da injustiça. Neste livro, o leitor poderá se deparar com a retomada de várias passagens do ‘Novo Testamento’, a fim de fundamentar o compromisso do povo de Deus com a justiça, a simplicidade e os sinais do reino de Deus. Ele contém 55 páginas.

10.          PONDÉ, Luiz Felipe. Amor para corajosos - Reflexões proibidas para menores. São Paulo: Planeta do Brasil, 2017. O poeta Vinícius de Moraes ensinava a amar “porque não há nada melhor para a saúde que um amor correspondido”. Se não há nada mais importante do que amar, pensar o amor em suas diversas formas e vínculos é fundamental. Em Amor para corajosos, o filósofo Luiz Felipe Pondé conduz o leitor por um passeio sobre o tema. Não se trata de um manual para amar melhor ou um estudo acadêmico. Na sua tradicional prosa ao mesmo tempo provocativa e elucidativa, Pondé escreve uma série de ensaios que podem ser lidos aleatoriamente ou na ordem sugerida. Ele parte de uma diferença filosófica entre o que seria um “amor kantiano” – que busca estabilidade e respeito – e um “amor nietzschiano” – aquele da paixão avassaladora. O foco principal é o amor romântico chamado pelos medievais de “doença da alma”. Pondé usa a filosofia, as ciências sociais e a cultura para analisar questões eternas e outras mais contemporâneas. O amor pode conviver com rotinas? O amor tem cura? É ético abrir mão do amor em nome de obrigações familiares? Como saber se você é um canalha ou uma vagabunda? É possível confiar numa mulher? Como curar a atávica insegurança masculina? E quando o amor morre? Como o próprio título sugere, “Amor para corajosos – Reflexões proibidas para menores” instigará o leitor ao exercício do amor. Afinal, segundo o próprio Pondé, o amor é uma experiência prática, jamais teórica. “Se você nunca entendeu a razão de a literatura estar cheia de exemplos de pessoas que “morrem de amor”, nenhuma teoria do amor vai salvá-lo do vazio que é nunca ter sofrido de amor”. Ele contém 190 páginas.

11.          BAXTER, Richard. Conselho aos pais para pastorear seus filhos. São Paulo: Shedd Publicações, 2011. Que enorme importância tem a educação sábia e santa das crianças para a salvação de suas almas, para o consolo de seus pais, para o bem da igreja e da sociedade e para a felicidade do mundo! Neste livro, Richard Baxter, apresenta vários conselhos sábios. Seu objetivo é que os pais possam tanto educar como pastorear seus filhos no temor a Deus. Ele contém 64 páginas.

12.          SIERRA, Javier. The Secret supper (A ceia secreta). Washington Square Press; Reprint, 2007. Milão, 1497. Leonardo da Vinci está completando sua obra-prima, The Last Supper. O Papa Alexandre VI está determinado a executá-lo depois de perceber que a pintura contém pistas para uma mensagem desconcertante e blasfema, que ele está determinado a decodificar. O Santo Graal e o Pão Eucarístico estão desaparecidos, não há carne na mesa e, de forma assustadora, os apóstolos são retratos de hereges bem conhecidos - nenhum deles retratado com halos. E por que o artista se pintou na cena com as costas voltadas para Jesus? As pistas para o maior enigma de Leonardo estão bem diante de seus olhos. Ele contém 329 páginas.

13.          MCCALL, Larry. Andando nos passos de Jesus. São Paulo: Fiel, 2009. De acordo com a Bíblia, você pode reconhecer um seguidor de Jesus Cristo por meio de dois fatores: a pessoa obedece às palavras de Jesus e segue os passos dele? A pessoa anda como ele andou? (1 João 2.5-6). O autor focaliza de modo simples e brilhante os traços característicos que Jesus demonstrou quando esteve neste mundo. McCall afirma: Refletir o caráter de Jesus deveria ser o padrão de vida normal de todo cristão. Este livro é uma ajuda e esperança para aqueles que clamam: Senhor, muda-me! Torna-me cada vez mais semelhante a Jesus. Contém 172 páginas.

14.          GRÜN, Anselm. Steindl-rast,David / A. Hediger,Markus. O depósito da nossa fé espiritualidade para o nosso tempo. Rio de Janeiro: Vozes, 2017. Nestas páginas são discutidas abertamente e com simplicidade as questões centrais da fé! Com grande sabedoria e com rico tesouro de suas experiências, Anselm Grün e David Steindl-Rast falam sobre questões-chaves da vida e da fé, com as quais todo homem e toda mulher se confrontam durante sua vida: De onde vim e para onde eu vou? O que acontece depois da morte? Quem é Deus? Por que está acontecendo todo esse sofrimento em nosso planeta? De onde vem o mal? Como vou ser feliz? Contém 208 páginas. 

15.          GRÜN, Anselm. Palavras que nos sustentam. A sabedoria do credo. Rio de Janeiro: Vozes, 2017. Algumas pessoas, quando cantam ou recitam o Credo, sentem-se como que obrigadas a amarrar-se nessas palavras, abrindo mão da própria razão para acreditar nelas. Outras se questionam se é mesmo necessário expressar sua fé com essas frases. Pois, não basta crer no amor de Deus? Qual a razão dessas palavras e frases complicadas, que parecem provir de uma época muito diferente da nossa? A fé não é algo puramente pessoal? Faz sentido expressar-me usando palavras tão antigas? Nesta obra, Anselm Grün reflete o Credo levando a sério os questionamentos que as pessoas levantam sobre essa declaração de fé. O objetivo é apresentar o mundo das imagens do Credo às pessoas que buscam e querem crer, a fim de que possam ganhar uma visão totalmente nova de sua própria vida. Contém 136 páginas.

16.          GRÜN, Anselm. Falar e silenciar. Por uma nova cultura do diálogo atencioso. Rio de Janeiro: Vozes, 2017. Este livro não oferecerá regras a serem seguidas quando falamos. E tampouco se trata de uma análise linguística, mas de uma proposta de percepção dos efeitos que nossa língua exerce sobre nossa vida e nossas interações. Desse modo, a partir de um contexto inicial sobre a língua e suas características, o autor propõe uma reflexão sobre aquilo que caracteriza um diálogo profundo e verdadeiro, e sobre a fala atenciosa utilizada como fonte de encontro com o outro e de entendimento de seu coração. Contém 160 páginas.

17.          BAVINCK, Herman. Dogmática Reformada – Prolegômena. São Paulo: Editora Cultura Cristã, 2012. A Dogmática Reformada foi o manancial da teologia Reformada nos últimos cem anos. É de longe a mais profunda e abrangente teologia sistemática Reformada do século 20. O leitor ficará maravilhado com a erudição de Bavinck, sua criatividade e equilíbrio. Bavinck é confessionalmente ortodoxo, mas reconhece a necessidade de colocar as tradicionais formulações das Escrituras no contexto das discussões contemporâneas. Contém 660 páginas. 

18.          CAMPOS, Heber Carlos. Eu Sou - Volume 1Doutrina da Revelação Verbal. São Paulo: Editora Fiel, 2017. O professor Dr. Heber Carlos de Campos é um reconhecido teólogo sistemático e ministro presbiteriano que alia a erudição acadêmica, a ortodoxia bíblica e o coração pastoral e traz para si a monumental responsabilidade de produzir uma dogmática num tema de importância vital para a teologia e a igreja cristãs. Este primeiro volume foi divido em sete partes, que tratam dos seguintes temas: A revelação verbal e as outras partes dos prolegômenos. A revelação verbal como verdade de Deus. A doutrina da revelação verbal. A doutrina da inspiração verbalA doutrina da inerrância das Escrituras. A doutrina do cânon das Escrituras. A doutrina do testemunho interno do Espírito Santo. Esta é uma obra de referência que poderá ser usada por professores e alunos de teologia e por ministros e pastores interessados em aprofundar seu conhecimento bíblico-teológico acerca da doutrina da revelação verbal. Contém 432 páginas.

19.          CALDAS, Carlos. Caminhos da Reforma protestante no Brasil. São Paulo: Editora Reflexão, 2018. A reforma protestante do século 16 foi um movimento religioso com repercussões em virtualmente todas as áreas da sociedade. A reforma pavimentou o caminho para a chamada modernidade, impactando de maneira decisiva não apenas a Europa, onde começou, mas todo o planeta. O movimento reformado nunca foi monolítico. Já em seus primeiros dias houve divisões, fazendo surgir, além do grupo luterano original, os reformados nunca foi monolítico. Já em seus primeiros dias houve divisões, fazendo surgir, além do grupo luterano original, os reformados (Zwinglianos e Calvinistas), os anglicanos e os radicais (diversos grupos de tradição anabatista). Todos estes grupos compartilham um núcleo comum, e ao mesmo tempo, desenvolvem suas características próprias. Este livro é produto das atividades do grupo de pesquisa protestantismo e Artes do programa de pós-graduação em ciências da religião da PUC minas em Belo Horizonte. Dos cinco colaboradores, três são professores de programas de pós-graduação na área de ciências da religião e teologia da CAPES. No ano da celebração mundial de meio milênio de caminhada protestante no mundo, caminhos da reforma protestante no Brasil apresenta uma contextualização da história de grupos protestantes na sociedade brasileira. A leitura desta obra será, ao mesmo tempo, instrutiva, edificante e desafiadora. Contém 134 páginas.

20.          BRUNET, Tiago Rumo ao lugar desejado. São Paulo: Editora Vida, 2017. “Minha história de superação neste traçado no tempo que é a vida, me fez descobrir, praticar e escrever os tópicos desta obra. As pessoas andam por aí sem rumo, sem direção. Dificilmente alguém que conheça o caminho está disponível para ajudar. A intenção deste livro é colocá-lo na estrada rumo ao lugar desejado na sua vida pessoal, profissional e financeira. Sendo pretensioso, porém humilde, gostaria de ser o cocheiro da carruagem que o levará até este destino.” Contém 140 páginas.

21.          CRAIG, William Lane. razão da nossa fé. Respostas a perguntas difíceis sobre Deus o cristianismo e a Bíblia. São Paulo: Vida Nova, 2018. Os seguidores de Jesus não precisam ficar amedrontados com perguntas difíceis ou mesmo objeções contra a fé cristã. Em A razão da nossa fé, o renomado filósofo e apologista William Lane Craig oferece dezenas de exemplos de como tratar alguns dos desafios mais comuns ao pensamento cristão, entre os quais: Por que Deus permite a existência do mal? Como posso ter certeza de que Deus existe? Por que devo crer que a Bíblia é fidedigna? Em que medida a ciência moderna está relacionada com a cosmovisão cristã? Que evidências podemos ter de que Jesus ressuscitou dos mortos? Partindo de perguntas enviadas para o seu famoso website ReasonableFaith.org, o dr. Craig mostra a grande habilidade que tem de interagir com seus inquiridores de forma equilibrada, técnica e fundamentada nas Escrituras. A razão da nossa fé não se limita a apenas tratar de apologética; ela mostra como se faz apologética. Em coautoria com Joseph E. Gorra, esse livro também oferece conselhos para conceber e praticar um ministério de respostas às perguntas que nos são feitas em igrejas locais, nas situações de trabalho e em ambientes virtuais, na Internet. Se você está lutando para responder a perguntas difíceis ou está buscando respostas para seus próprios questionamentos intelectuais, A razão da nossa fé vai muni-lo de argumentos sólidos e da verdade escriturística. Contém 480 páginas.

22.          KEENER, Craig S. A mente do Espírito. São Paulo: Vida Nova, 2018. Nesta importante obra, Craig Keener, renomado estudioso do Novo Testamento, explora uma área importante, mas geralmente negligenciada da teologia paulina: o ensinamento de Paulo sobre a mente. Paulo fala da mente corrompida e da mente da carne, mas também fala da mente de Cristo, da mente do Espírito e da renovação da mente. Ao articular esse tema, Paulo adapta a linguagem própria da reflexão intelectual popular de seu tempo, fazendo-o de forma claramente focada em Cristo e no papel de Cristo na transformação do crente. Keener permite que os leitores entendam esse mundo do pensamento para que possam interpretar as formulações de Paulo para a vida cristã contemporânea. A mente do Espírito ajuda a superar uma falsa separação entre seguir o Espírito e usar o intelecto humano. Também fornece uma nova base para relacionar os estudos bíblicos com o aconselhamento cristão. Tal contribuição atrairá professores, alunos e estudiosos do Novo Testamento, bem como pastores e líderes de igreja. Contém 496 páginas. 

23.          TILLICH, Paul. História do pensamento cristão. São Paulo: Aste, 2004. Estas aulas sobre a história do pensamento aparecem num momento em que a compreensão da história se tornou tarefa central e problema urgente da atual reflexão teológica. Evidenciam a maneira como o próprio Tillich utilizava a história. Para ele o passado carregava em si o presente, e seu estudo era como uma alameda aberta para o futuro. Só se pode viver no presente plenamente, aberto para o futuro, em diálogo com o passado, interpretando seus monumentos e compreendendo seus movimentos. Este livro demonstra o poder da história para um teólogo que jamais mergulhou no passado para escapar do presente. A história torna-se viva para o estudante que se deixa introduzir por Tillich na sua força. Contém 294 páginas.

24.          KIERKEGAARD, Soren. Conceito de angústia. Rio de Janeiro: Editora Vozes, 2017. O autor esclarece psicologicamente o conceito da angústia, utilizando-se da figura de Adão, "o homem", refletindo sobre a dialética da responsabilidade. Este é um grande ensaio de Psicologia; não é livro de Ética nem da Dogmática, por mais que utilize a palavra pecado para a busca da autonomia humana, eventualmente transgressora. O resultado é uma obra prima, que discute com a tradição cristã e com necessidade dos sistemas idealistas. Contém 120 páginas. 

25.          GRÜN, Anselm. Avidez. Como deixar de querer sempre mais. Rio de Janeiro: Editora Vozes, 2017. O tema da avidez ocupa os seres humanos desde que começaram a existir. Uma das marcas do ser humano é a mania de querer cada vez mais, de nunca estar satisfeito com o que lhe foi dado. Nesta obra, Anselm Grün dedica-se a distinguir e refletir sobre todos os principais conceitos relacionados ao tema central da avidez, e oferece ao leitor uma proposta para lidar espiritualmente com esta força dinâmica que move todas as ações humanas para o bem ou para o mal. Contém 134 páginas.

26.          LELOUP, Jean-Yves. Amar apesar de tudo. Para que cada um de nós transforme seu destino em um projeto consciente. Rio de Janeiro: Editora Vozes, 2017. Jean-Yves Leloup nos convida a dar um passo consciente em direção a uma vida plenamente assumida. Fala daquilo que está dentro de nosso ser, no mais profundo de nós - o amor -, e vai lançando luzes para permitir que cada aspecto aflore, que tomemos consciência e que nos rendamos à proposta de mudança que a vida nos faz. Contém 168 páginas.

27.          LEWIS, C. S. Cartas a uma senhora americana. São Paulo: Editora Vida, 2006. Lewis iniciou uma correspondência com uma senhora americana que ele nunca conheceria pessoalmente. Treze anos mais tarde, sua vida — e cartas — chegaram ao fim. Essas cartas revelam facetas da personalidade de Lewis que são pouco conhecidas mesmo dos grandes admiradores de suas obras. Aqui está o homem Lewis — generoso, sábio, compassivo, notavelmente humano. E, o que é mais significativo, aqui está o Lewis cristão — encorajando com toda a paciência outra cristã a passar pelas vicissitudes da vida cotidiana. Um livro encantador em que estão expressos o afeto e a compaixão de Lewis, bem como sua inteligência notável e seu relacionamento apaixonado com Deus. Contém 160 páginas.

28.          GRENZ, Stanley J. A busca da moral. São Paulo: Editora Vida, 2006. O que é ética? Por que os cristãos devem se preocupar com ela? Nesta obra, Stanley Grenz apresenta a teologia ética de personalidades como Agostinho, Tomás de Aquino, Lutero e outros reformadores, além de trazer uma discussão a respeito de eticistas cristãos contemporâneos como Karl Barth, Dietrich Bonhoeffer, Martin Luther King Jr. e Oliver O´Donavan. Grenz reflete especificamente sobre o papel e o método da ética cristã, examinando também as abordagens éticas implícitas e explícitas do Antigo Testamento, dos Evangelhos e dos escritos de Paulo. A busca da moral é uma declaração de ética teológica cujo objetivo é estabelecer fundamentos firmes e seguros para a vida cristã. Afinal, a ética dos cristãos também deve brilhar nesse mundo enegrecido pelo engano do pecado! Contém 392 páginas.

29.          PETERSON, Eugene. Transpondo muralhas – Espiritualidade para o dia-a-dia dos cristãos. Rio de Janeiro: Habacuc, 2004. Nesta inspiradora obra, Peterson usa magistralmente as melhores histórias da vida épica de Davi para nos brindar com vívidas e sábias lições para o dia a dia da fé e da nossa espiritualidade. Explorando a fundo as experiências de amizade, tristeza, amor, pecado e sofrimento da vida de Davi, bem como as de santidade, beleza e solidão. Peterson nos leva a uma redescoberta das verdades eternas que se encontram por trás das ricas e emocionantes narrativas da existência de Davi. Contém 282 páginas.

30.          RIGNEY, Joe. As coisas da terra. Brasília: Editora Monergismo, 2017. Limonada gelada. O riso das crianças. Futebol universitário. Ovos mexidos com bacon frito. Mas o que acontece a esses prazeres terrenos quando Jesus se manifesta? As coisas da terra estranhamente perdem o brilho? Ou ele brilha em tudo que é bom? Neste livro, Joe Rigney oferece um sopro de ar fresco a cristãos oprimidos por padrões falsos, expectativas impossíveis e noções equivocadas de santidade. Buscando o meio-termo entre a idolatria de um lado e a ingratidão de outro, este livro imprescindível lembra-nos de que toda boa dádiva vem das mãos do Pai, de que as bênçãos de Deus devem levar-nos à adoração e à generosidade e de que a paixão pela glória de Deus é tão grande quanto o mundo. Contém 288 páginas.

31.          KENDALL, R. T. Só termina quando acaba. São Paulo: Vida, 2016. Uma das principais estratégias do inimigo é convencer você de desistir de sua fé. Se ele for bem-sucedido nisso, seu próximo objetivo é persuadir você a concordar com menos do que Deus planejou para você. Não desista! Para qualquer um que tenha sentido como se estivesse jogando a toalha, R. T. Kendall traz encorajamento divino. Não perca a esperança! Continue correndo a corrida. Contém 184 páginas.

32.          DUEWEL, Wesley. Heróis da vida cristã. São Paulo: Vida, 2004. "Não há modo mais forte e suave de ensinar do que o exemplo; persuade sem retórica, reduz sem porfia, convence sem debate, desata todas as dúvidas e corta caladamente todas as desculpas." Essa frase do célebre orador português Manoel Bernardes (1644-1710) ilustra com perfeição a proposta desta obra singela e marcante. Ela apresenta a trajetória de 14 homens e mulheres cuja vida foi totalmente consagrada a Deus e ao serviço dele. Eles buscaram uma caminhada mais intensa com Deus, almejaram uma vida espiritual mais profunda e obtiveram notável progresso na vida espiritual e na intimidade com Cristo. Como Enoque, eles efetivamente andaram com Deus. Por meio de uma vida comprometida com Cristo, a doutrina cristã ganha vigor e graça. O amor e o poder que esses heróis evidenciaram também estão ao nosso alcance. A vida dessas pessoas lembra-nos que podemos tornar nossa existência sublime, exalando ao mundo o melhor aroma que a humanidade pode conhecer: o bom perfume de Cristo. Contém 242 páginas.

33.          KUYPER, Abraham. Em toda a extensão do Cosmos. Brasília: Monergismo, 2017. A presente edição de pequenas obras de Kuyper visa não somente contribuir na supressão da lacuna editorial, mas também demonstrar um aspecto essencial do pensamento do teólogo, nomeadamente, sua atenção e interesse para os mais diferentes eventos, movimentos e personagens históricos de seu tempo, que servem de ponto de partida para a elucubração e sistematização de seus conceitos. Com efeito, a mente de Abraham Kuyper não somente se irradiava para os mais diversos assuntos ― da teologia, passando pela literatura e culminando na política ― e atividades (jornalismo, filosofia, educação, artes, ministério eclesiástico e cargo político), mas instalava-se como uma rede a captar todas vibrações que atravessavam e modelavam sua época. Contém 122 páginas.

34.          CARSON, D. A. A verdade. Como comunicar o Evangelho a um mundo Pós-Moderno. São Paulo: Vida Nova, 2015. Como transmitir a verdade a um mundo que nem sabe ao certo o que ela é — ou mesmo se ela existe? Como recomendar absolutos espirituais a pessoas para as quais eles inexistem? Se essas perguntas já o intrigaram ou se você já lutou com elas, o livro que tem em mãos é leitura obrigatória. A Verdade explora o conhecimento que Ravi Zacharias, Kelly Monroe, D. A. Carson, Ajith Fernando, Mark Dever e outros estudiosos notáveis adquiriram nas trincheiras do fazer evangelístico e apologético. O livro abrirá seus olhos para ver como a luta pelas almas, à semelhança de uma verdadeira guerrilha, é travada em um grande número de frentes: nos relacionamentos, nas universidades, no âmbito das etnias, no campo da razão e das emoções, no púlpito, nas comunicações... em suma: no amplo espectro da experiência e dos valores humanos. Contém 448 páginas.

35.          LOPES, Rosther Guimarães. Esperança que vem da cruz. São Paulo: Reticências, 2018. No livro Rosther trabalha devoções para edificar a vida e coração das pessoas. São feitas com muito zêlo e amor. Nelas, Rosther traz a graça do Evangelho para o nosso coração com clareza, simplicidade e paixão. Vale a pena navegar nesse livro de devoção para o coração. Contém 111 páginas.

36.          LUCADO, Max. Graça radical. Rio de Janeiro: Thomas Nelson, 2014. Talvez você tenha sérias dúvidas sobre o que, afinal, significa “graça”. Você dá de cara com essa palavra quando ouve o pastor falar ou nas revistas da escola dominical. Talvez ache que graça é algo “certinho”, que só faz sentido dentro da igreja, no horário do culto. Mas, no fundo, você bem que gostaria de saber mais sobre ela e de sentir de verdade tudo o que dizem a respeito dessa “coisa” aparentemente tão difícil de entender. Neste livro, Max Lucado procura responder às suas dúvidas e mostrar que a experiência da graça pode ser ainda mais emocionante que um salto de bungee jump, uma onda perfeita ou um rolê de skate. Todas as áreas de sua vida vão mesmo sofrer uma reviravolta radical no momento em que perceber que Deus e sua graça estão mais entranhados no seu dia a dia do que você jamais imaginou. Contém 256 páginas.

37.          LAGO, Davi. Brasil Polifônico. Os evangélicos e as estruturas de poder. São Paulo: Mundo Cristão, 2018.Em Brasil polifônico: Os evangélicos e as estruturas de poder, Davi Lago resgata os marcos civilizatórios da sociedade moderna e os princípios da teologia política, aplicando-os à complexa realidade brasileira. O autor apresenta as influências que a tradição judaico-cristã e a reforma protestante oferecem ao arcabouço jurídico e político ocidental, razão pela qual ele estimula o heterogêneo segmento evangélico e os setores não evangélicos da sociedade a contribuírem para um ambiente de respeito e tolerância. Apostando no caminho do diálogo e da mútua consideração, e sem deixar de lado a necessária autocrítica, o autor organiza os fundamentos conceituais e históricos que norteiam e inspiram a busca de uma convivência democrática, para o bem da nação. Contém 208 páginas.

38.          NICODEMUS, AugustusA compaixão de Deus. A mensagem de Jonas para a igreja de hoje. São Paulo: Vida Nova, 2018. Ao contrário do que muitos pensam, o tema central do livro de Jonas não é o episódio em que o profeta é engolido e depois vomitado por um grande peixe. Deus é o tema central! E com isso o livro nos ensina acerca da soberania divina sobre toda a criação e sobre todos os acontecimentos. Jonas mostra que somos responsáveis por nossos atos e decisões diante de Deus e não podemos fugir de sua vontade. A pergunta que Deus faz nos versículos finais ao profeta irado ainda hoje ecoa em nossos ouvidos como um desafio: “Somos como Deus, capazes de ter compaixão e perdoar nossos inimigos, assim como ele perdoou aos ninivitas? Conseguimos, de fato, querer o bem deles e nos alegrar quando Deus os abençoa?”. Contém 96 páginas.

39.          WASHER, Paul. O Evangelho de Deus & O Evangelho do homem. São Paulo: Hagnos, 2018. O evangelho de Jesus Cristo é a mais preciosa mensagem de Deus para os homens. Paul Washer demonstra esta realidade através de uma vigorosa série de meditações, ao mesmo tempo em que condena de modo veemente as alterações e mudanças que os homens tentam impor à mensagem de salvação. Um livro necessário para todo cristão em todos os tempos! Contém 111 páginas.

40.          NOUWEN, Henri. Uma espiritualidade do viver. São Paulo: Vida, 2018. Qual o segredo para se ter uma vida espiritual? Viver uma vida disciplinada, de acordo com Nouwen. Na vida espiritual, disciplina exige esforço consciente para manter cada área da vida livre de ser preenchida — isso significa criar espaço para Deus. Nouwen identifica três disciplinas essenciais para manter uma vida de discipulado: solitude, comunidade e ministério. Este pequeno livro encorajador e cheio de ideias inspira os leitores a praticarem todas as três disciplinas. O resultado, promete Nouwen, é uma vida cheia de fruto, uma vida cheia do Espírito. Contém 74 páginas.

41.          GUEDES, Rivanildo. Precisamos falar sobre pecado. São Paulo: Mundo Cristão, 2018. Numa época dominada pelo politicamente correto, o tema do pecado soa intragável. Mas por que precisamos falar sobre ele? Falar de pecado é falar do desejo, uma das características que nos distinguem dos animais e um dos elementos geradores de prazer ou frustração. Por isso, compreender a dinâmica do pecado e a proposta redentora do Criador pode ser essencial para romper as barreiras que nos separam de Deus. Ao resgatar a importância de discutir o pecado, Rivanildo Guedes transita com maestria entre a filosofia, a literatura e a teologia, compartilhando conceitos universais que explicam a longa busca do ser humano por sentido e pertencimento. Contém 112 páginas.

42.          SMALLEY, Gary. Amor de verdade dura para sempre. Rio de Janeiro: Thomas Nelson, 2013. Gary faz um convite irrecusável a todos os casais: que tal abrir o coração, seguir algumas orientações importantes e ouvir histórias inspiradoras de amor para ficar eternamente apaixonado por seu cônjuge? O primeiro passo é ser apaixonado pela vida, só assim é possível direcionar o nosso amor para alguém. O segundo é fortalecer a confiança, a intimidade e a cumplicidade a dois. Para que o leitor atinja com perfeição esses dois passos, Smalley oferece e explica treze dicas essenciais. Treze dicas capazes de transformar sua relação e sua forma de ver o mundo. Contém 344 páginas.

43.          LUCADO, Max. Dias de glória. Rio de Janeiro: Thomas Nelson, 2015. Anos e anos perambulando pelo deserto. Na mente, a memória da vitória e a esperança de uma nova vida. Ao redor, porém, apenas sequidão, marasmo e uma sensação de não sair do lugar. É assim que você tem se sentido? Muitos conseguem se lembrar do dia em que se tornaram cristãos, mas não recordam a última vez que resistiram a uma tentação ou que tiveram a alegria de ter uma oração respondida. Como Israel, vivem peregrinando em terra seca à espera do momento em que, finalmente, encontrarão vitoriana Terra Prometida. No entanto, a promessa está disponível aqui e agora. Em Dias de glória, o best-seller Max Lucado se aprofunda na análise da vida de Josué registrada no texto bíblico para apresentar a graciosa notícia de que Deus pode ajudar você a fazer a ponte entre a pessoa que é e a que deseja ser. Contém 223 páginas.

44.          TRIPP, Ted. Em busca de algo maior. São Paulo: Editora Cultura Cristã, 2012. Nesse livro, a discussão sobre viver no reino não terá lugar no corredor do seminário. Vou levá-lo para a rua onde o pneu encontra a estrada da vida cotidiana. Eu quero ajudá-lo a considerar o chamado de Cristo no nível da rua. E a minha esperança é que, à medida que fazemos isso juntos, primeiro você se sinta desconfortável, mas logo em seguida seja encorajado, animado e motivado, com esperança. Contém 208 páginas. 

45.          CARSON D. A. Memórias de um pastor comum. A vida e ministério de Tom Carson. São Paulo: Editora Fiel, 2015. Neste livro, Dr. Carson desafia e encoraja pastores anônimos a perseverarem com fidelidade em seus ministérios, ao contar a história de vida e ministério de seu pai Tom Carson, um pastor comum, como a maioria, que a despeito de não ter escrito livros influentes ou pregado a milhares de pessoas em grandes conferências, foi um grande exemplo de integridade e obediência a Deus. Contém 240 páginas. 

46.          FOSTER, Nathan. Em busca da sabedoria - Descobrindo meu pai a 4 mil metros de altitude. São Paulo: Editora Vida, 2012. Certo dia, Nathan Foster se pegou perguntando ao pai, em meio ao abismo que existia entre eles: “Ei, pai, quer escalar a montanha mais alta do Colorado?”. Para pai e filho, essa pergunta mudou tudo. Sem nenhuma experiência de escalada juntos, embarcaram numa jornada de desafios físicos, descobrindo a que extremos eram capazes de chegar. Para Nathan, aconteceu o mais importante: uma jornada paralela em seu interior. Tendo crescido à sombra de um pai conhecido, Richard J. Foster, autor de Celebração da disciplina, Nathan tinha muitas perguntas sobre quem o pai era de verdade. Será que as escaladas abririam a porta para conhecer aquela figura distante? A primeira experiência evoluiu para uma década de subidas desafiadoras nas grandes montanhas do Colorado, com mais de 4 mil metros de altitude. Enquanto isso, Nathan vive seus 20 anos: término da faculdade, escolha de uma carreira, uma possível mudança para o outro lado do país, os primeiros anos de casamento e uma grande crise pessoal. Ao longo do caminho, descobriria exatamente aquilo que o pai podia lhe oferecer. O pai? Aprende que os relacionamentos humanos são delicados e necessitam de cuidados constantes. Contém 173 páginas.

47.          HARRIS, Joshua. Cave mais fundo. O que você acredita? Por que isso importa? São Paulo: Editora Fiel, 2012. Para os indiferentes ou espiritualmente inertes, as reflexões cômicas e envolventes de Harris sobre as crenças cristãs mostram que a ortodoxia não é apenas para eruditos - é para todos que anelam conhecer o Senhor Jesus Cristo. Como Harris escreve: Cheguei a aprender que a teologia é importante. É importante não porque desejamos impressionar as pessoas, e sim porque o que sabemos a respeito de Deus molda a maneira como pensamos e vivemos. A teologia é importante porque, se a entendermos de modo errado, toda a nossa vida será errada.  Se você está apenas começando no cristianismo ou já é um crente veterano, este livro o ajudará a descobrir as verdades eternas da Escritura. Enquanto Harris o desfia a arraigar sua fé e sentimentos para com Deus na pessoa, obra e palavras de Jesus, ele responde a perguntas como estas: Como é Deus e como ele fala comigo? O fato de que Jesus é tanto humano como divino faz alguma diferença? Como a morte de Jesus, na cruz, paga a penalidade dos meus pecados? Quem é o Espírito Santo e como ele opera em minha vida? Com graça e sabedoria, Harris o inspirará a deleitar-se na verdade que cativou a mente e o coração dele. Ele o chamará a cavar profundamente para ter uma fé tão sólida que você poderá edificar sua vida sobre ela. Contém 310 páginas. 

48.          NICODEMUS, AugustusA supremacia e a suficiência de Cristo. A mensagem de Colossenses para a igreja de hoje. São Paulo: Vida Nova, 2013. Em nossos dias, assim como na época de Paulo, a supremacia e a suficiência de Cristo têm sido desafiadas pelos mais variados tipos de heresia. Paulo escreveu a carta aos colossenses em meados do primeiro século para combater um falso ensinamento, conhecido como a heresia de Colossos. No entanto, o leitor atento que esteja familiarizado com a situação da igreja evangélica brasileira não terá dificuldade em identificar nos dias de hoje várias semelhanças com essa heresia. Precisamente por esse motivo a carta que Paulo escreveu aos colossenses é tão relevante para o nosso tempo. Contém 136 páginas. 

49.          FOUCAULT, Michel.Conceitos fundamentais. Rio de Janeiro: Vozes, 2018. Ao contrário dos críticos de Foucault, os colaboradores deste volume veem a abordagem filosófica não convencional de Foucault como uma força. Eles rejeitam a perspectiva segundo a qual o aspecto crítico da sua filosofia eclipsa o seu potencial positivo e emancipatório. Cada uma das três seções do livro ilustra como Foucault reconceitualiza um conceito filosófico chave - poder, liberdade e subjetividade - e fornece exemplos de como essa reconceitualização facilita novas maneiras de pensar e agir que sejam capazes de se contrapor à opressão e à dominação. Contém 264 páginas.

50.          SEIFRID, Mark. Justificação em Cristo. O argumento da teologia paulina. São Paulo: Hagnos, 2014. Neste estudo, Mark Seifrid oferece uma análise abrangente da compreensão de Paulo da justificação, à luz de temas importantes, como a justiça de Deus, a lei no Antigo Testamento, a fé e o destino de Israel. Um exame detalhado da justificação na Carta aos Romanos é seguido por um levantamento de todo o entendimento paulino sobre o assunto. Dr. Seifrid não apenas expõe o lugar da justificação no pensamento de Paulo, como também demonstra como o apóstolo se situa em seu próprio contexto, histórico, e como seus escritos sobre o assunto se situam dentro do cânon cristão. A análise inclui uma avaliação crítica da "nova perspectiva", desafiando seus pressupostos mais básicos e uma reafirmação da "centralidade em Cristo" teologia dos reformadores. Nesta exposição ampla da mensagem bíblica da justificação, Dr. Seifrid fornece uma nova reformulação, equilibrada, da teologia paulina. O Dr. Seifrid entende que as questões têm a ver não apenas com exegese pontual, mas com a exegese que se fundamenta em temas e terminologias bíblicas, centrais. Porém, ele não é escravo do mero tradicionalismo. Não hesita em corrigir formulações tradicionais que julga inadequadas. Portanto, o Cristo que é recebido pela fé e que vive no coração é a verdadeira justiça do cristão, com base na qual Deus nos considera justos e nos, concede a vida eterna. Martinho Lutero, sobre Gálatas 2.16. Contém 216 páginas.

51.          CARSON, D. A. Encontro com a Palavra de DeusSão Paulo: Editora Fiel, 2017. Este livro reúne cinco palestras proferidas por D. A. Carson no 19o Encontro para a Consciência Cristã, realizado em maio de 2017. O tema-base desse Encontro foi “A tua palavra é a verdade: celebrando os 500 anos da Reforma Protestante”. As palestras, intituladas “A prioridade no 1”, “A conformação de sua mente: o Salmo 1”, “Jesus Cristo é o cumprimento das Escrituras”, “Aprendendo e proclamando as Escrituras” e “As Escrituras não podem ser deixadas de lado”, apontam, todas, para a importância vital da Palavra de Deus na vida do crente. Nessas mensagens, o conhecido professor-pesquisador do Novo Testamento D. A. Carson, convida seu leitor a um verdadeiro e transformador encontro com Palavra de Deus, a fim de trilhar o caminho da fé plena em sua verdade, beleza e vitalidade. Contém 112 páginas. 

52.          NOUWEN, Henri. O perfil do líder cristão do Século XXI. São Paulo: Editora Atos, 2002. O mundo atual caminha em uma velocidade assustadora. Mudanças cada vez mais constantes desafiam os cristãos de todo o mundo a permanecerem fiéis aos ensinos bíblicos e, ao mesmo tempo, buscar respostas para os grandes questionamentos da sociedade. • Como enfrentar esse desafio? • O que fazer com as novas questões levantadas pela sociedade? A solução está na sólida formação de líderes que conheçam verdadeiramente os ensinamentos de Deus e que saibam estender a mão aos que necessitam de ajuda. “Se existe uma área onde o líder precisa dar atenção, é a disciplina de habitar na presença de Deus, a disciplina da oração”. Somente enraizados na Palavra de Deus, e nela meditando de dia e de noite, poderão conduzir os demais cristãos à maturidade. Nouwen, compreendeu que o caminho para subir é descer. Ele abandonou sua brilhante carreira de professor nas melhores universidades dos EUA (Notre Dame, Yale e Harward) para compartilhar sua vida com os necessitados, servindo numa comunidade para deficientes mentais em Toronto, Canadá. Aprendeu como vencer o desejo de ser relevante, o desejo de ser popular e o desejo de ter poder, segundo ele, os principais inimigos de quem busca se tornar e se manter como um verdadeiro líder. Contém 64 páginas.

53.          LEWIS, C. S. A abolição do homem. Rio de Janeiro: Thomas Nelson, 2017. Surpreendente e profético, A abolição do homem é um dos livros mais debatidos de C.S. Lewis. Nas poucas, porém densas páginas desta obra, o célebre autor britânico defende a moralidade absoluta e os valores universais, como o altruísmo, a caridade e o amor, além de expor as consequências da falta desses princípios na sociedade. Criticando os argumentos dos relativistas, a obra – agora em nova edição com capa dura e acabamento de luxo – alerta para os perigos de questionar os valores morais objetivos, comuns a todos, sem os quais os seres humanos correm o risco de perder a humanidade. Com bases sólidas e profundas, Lewis mostra que a tentativa de abolir a moralidade equivale, no fim, a abolir o próprio homem, e convida os leitores a não se render à tendência relativista que permeia a sociedade contemporânea. Contém 128 páginas.

54.          BARCLEY, William B. O segredo do contentamento. São Paulo: Editora Nutra, 2014. Neste livro o Dr. William Barcley nos oferece um tremendo encorajamento para vivermos contentes com o que temos e com o que Deus deseja prover a nós. Tendo a carta de Paulo aos filipenses como ponto de partida, e examinando as demais Escrituras, o autor nos leva a perceber que o apóstolo Paulo e outros fiéis, aprenderam por meio das circunstâncias providas por Deus, agradáveis ou não, ser possível viver contente com as coisas que temos. Contém 184 páginas.

55.          CHANDLER, Matt e Michael SnetzerO resgate da redenção. São Paulo: Vida Nova, 2016. Sempre temos áreas na vida para melhorar — em nós mesmos, nos relacionamentos... praticamente em tudo. Mas todas as nossas corajosas tentativas de melhorar, se chegam a mudar alguma coisa, são incompletas na melhor das hipóteses e arrematados fracassos na pior das hipóteses. E, às vezes, muito pior que isso. A não ser que...O evangelho de Jesus Cristo é o grande “a não ser que” da vida — tanto para aqueles que já creem (mas não conseguem acreditar nas “pisadas de bola” que ainda são capazes de dar), quanto para aqueles que ainda não creem, mas sabem que nada está dando certo para eles. O resgate da redenção, escrito com a intensidade ousada de um pastor e com a visão perspicaz de um conselheiro, fará você se aprofundar nas Escrituras para que possa se aprofundar em si mesmo e descobrir que o coração de todos os nossos problemas é na verdade o problema do nosso coração. Mas, por causa de tudo o que Deus fez e pode fazer, a pessoa mais confiante e satisfeita que você já conheceu pode ser, na verdade, você mesmo — redimido por meio de Jesus Cristo. Contém 208 páginas.

56.          PRIOLO, Lou. O desejo de agradar os outros. São Paulo: Editora Nutra, 2013. Deus criou o homem como um ser adorador. Contudo, o homem corrompeu essa adoração devida a Deus. Em vez de adorar e temer a Deus o homem passou a adorar e temer aos ídolos. Isto porque o homem pode facilmente cruzar a linha da adoração devida a Deus e enveredar-se pela adoração a objetos, coisas, natureza, animais ou mesmo pessoas. Neste livro Lou Priolo se detém nesse último aspecto da corrupção da adoração, isto é, temer pessoas. Ele enfatiza que o temor aos homens tem muitas facetas e desenvolve de maneira habilidosa um vigoroso argumento para evidenciar que, porque corrompemos o temor e a adoração devidos exclusivamente a Deus, podemos sofrer com um temor que ilude, engana, distorce, subverte e paralisa – o temor aos homensContém 312 páginas.

57.          PETERSON, Eugene. Um pastor segundo o coração de Deus. São Paulo: Textus/Mundo Cristão, 2006Este livro é uma ferramenta especial para pastores que querem rever seus propósitos com Deus e vencer as enormes pressões que reduzem a vocação pastoral a uma tarefa meramente religiosa e puramente administrativa de gerir uma igreja. Um livro estimulante. Peterson desafia grande parte das práticas pastorais da atualidade. A sua chamada a voltarmos ao fundamental não pode ser ignorado e classificado como ultrapassado ou simplista. Tanto o seu estilo literário quanto o seu cuidadoso trabalho de exegese mostram a sua capacidade. A sua obra tem o toque inconfundível da verdade. Contém 184 páginas.

58.          MCGRATH, Alister. Gênese da doutrina. A fundamentos da crítica doutrinária. São Paulo: Editora Vida Nova, 2015. Que é doutrina?  Como pode uma afirmação doutrinária do passado ter autoridade no presente? Como as afirmações doutrinárias devem ser analisadas e avaliadas criticamente? Essas são perguntas cruciais para a teologia cristã, e a maneira em que são respondidas gera consequências significativas para a igreja. A gênese da doutrina explora um conjunto de questões fundamentais relacionadas à natureza da doutrina cristã e apresenta uma investigação detalhada dos fatores que norteiam seu desenvolvimento. Contém 256 páginas.

59.          LOPES, Augustus NicodemusUma igreja complicada. São Paulo: Editora Cultura Cristã, 2011. Este livro é um comentário muito prático sobre os primeiros quatro capítulos da primeira carta do apóstolo Paulo aos Coríntios. Alguém poderia pensar: por que somente sobre quatro capítulos? A resposta é que o assunto desses quatro capítulos é primordialmente o apostolado de Paulo e atualmente surgiram vários líderes que se autodenominam "apóstolos", colocando sobre si mesmos a capa de autoridade apostólica. Coisas semelhantes ocorreram antes na história da igreja, mas quase sempre se descobriu e que esses ditos "apóstolos" ensinavam doutrinas não apostólicas e que em muitos assuntos se desviavam do fundamento da Palavra de Deus fiel. Contém 176 páginas.

60.          FERGUSON, Dave - Warren Bird. Formador de heróis. Brasília: Editora Palavra, 2018. Estamos passando por um momento da história onde as crises de liderança permeia todos os segmentos. O vácuo nunca foi tão grande. A necessidade de lideres é urgente no mundo, e certamente não passa despercebido no meio eclesiástico. Ferguson traz soluções reais, práticas e aplicáveis para reverter o quadro. Ele entende que os lideres devem se doar na capacitação de outros, promovendo uma multiplicação de liderança de forma a suprir essa necessidade que vivenciamos. Reconheça o investimento que outras pessoas fizeram na sua vida para se tornar a pessoa e o líder em que se tornou, e invista profundamente na vida de outras pessoas para que se tornem os líderes que o Reino de Deus precisa. Contém 296 páginas.

61.          COSTA, RicardoPlataforma do Reino. O Significado de viver as realidades do Reino de Deus em nossa história. Esta é uma obra desafiadora para a nossa vida cristã. O livro de Tiago nos ensina que a fé sem obras é morta. Sabemos também que teoria e pratica devem andar juntas. A nossa identidade em Cristo nos leva à comunhão e intimidade com o Pai. O que vem depois disso é consequência dessa amizade que necessariamente reflete no ambiente e nas pessoas que estão próximas a nós. Ricardo nos encoraja a vivermos a cultura do Reino, que se evidencia na evangelização e pregação com poder, acompanhados da manifestação de sinais e milagres na vida das pessoas. Contém 170 páginas.

62.          LITFIN Bryan M. Conhecendo os pais da igreja uma introdução evangélicaSão Paulo: Editora Vida Nova, 2015. Nesta obra, o especialista em patrística Bryan Litfin apresenta os 10 pais da igreja, entre eles Agostinho, Inácio, Orígenes, Perpétua e Tertuliano. Ele revela a riqueza da tradição cristã e quanto os cristãos de hoje são moldados por esses irmãos do passado na forma em que adoram, oram, estudam as Escrituras e vivem em comunidade. Cada capítulo trata da vida e da obra de um pai da igreja, encerrando com uma tradução moderna de excertos extraídos de seus escritos, com perguntas para reflexão e debate e sugestões de bons livros para aprofundar o assunto. O livro é ideal para alunos, professores, grupos pequenos e pessoas que procuram saber mais sobre o cristianismo histórico e ortodoxo. Contém 256 páginas.

63.          STROBEL, Lee. Em defesa da fé. São Paulo: Editora Vida, 2012. Livro Em defesa da fé, após examinar minuciosamente em seu livro Em defesa de Cristo diversos argumentos favoráveis e contrários à pessoa de Jesus, Lee Strobel apresenta agora um trabalho ainda mais instigante sobre um dos fundamentos do cristianismo: a fé. Em mais uma obra imprescindível para os nossos dias, o autor confronta os questionamentos que muitas pessoas ainda têm a respeito de Deus. Strobel trata de objeções como: Se Deus é amor, por que existe tanto sofrimento no mundo? Se Jesus é o caminho para o céu, por que há tantos milhões de pessoas que nunca ouviram falar dele? Se Deus se preocupa com todas as pessoas, por que permite que algumas sejam eternamente torturadas no inferno? Livro Em defesa da fé foi produzido graças à larga experiência de Strobel no jornalismo investigativo. Ele responde às dúvidas mais comuns e persistentes sobre a fé, baseado no que classifica de "As Oito Grandes" barreiras do coração. Este livro foi escrito para as pessoas que se sentem atraídas por Jesus, mas encontram no caminho uma série de barreiras intelectuais que as impedem de avançar. Uma obra excelente para cristãos que desejam aprofundar suas convicções e adquirir confiança ao dialogar sobre sua fé com os amigos mais céticos. Contém 368 páginas. 

64.          POYTHRESS, Vern S. Milagres de Jesus. Como os atos poderosos do Salvador servem de sinais da redenção. São Paulo: Vida Nova, 2018Jesus caminhou sobre as águas. Curou cegos. Transformou a água em vinho. Mais do que apenas demonstrar o poder divino do Mestre, os milagres de Jesus têm significados mais profundos: são janelas da grandiosa história da redenção de Deus que prenunciam o milagre maior da morte e da ressurreição de Cristo. Ao explicar o significado e a importância dos 26 milagres registrados no Evangelho de Mateus, Vern Poythress, estudioso e pesquisador do Novo Testamento, mostra-nos a importância desses milagres para a nossa vida hoje. Poythress elucida como o entendimento do significado dos milagres de Cristo nos ajudará a também compreender melhor a salvação que Deus trouxe ao mundo. Contém 304 páginas. 

65.          ANSELM, Grün e Halík Tomás. Livrar-se de Deus? Quando a crença e a descrença se encontram. Rio de Janeiro: Vozes, 2017. A fé não é uma ideologia, mas um caminho e, decerto, um caminho que nunca acaba. Começar a crer não significa poder apoiar-se em pilares de certezas, mas entrar na nuvem do mistério e aceitar o desafio: mergulha fundo! Aprendemos a compreender que na senda de uma fé viva há “noites escuras” – e que há momentos, historicamente perceptíveis, em que também as pessoas atravessam “noites escuras da alma coletiva”, nas quais a pergunta “Onde está Deus?” Está muito longe de ser insana e estapafúrdia.  Contém 224 páginas.

66.          BRETON, David Le. Desaparecer de si: Uma tentação contemporânea. Rio de Janeiro: Vozes, 2017. Às vezes o indivíduo não quer mais se comunicar, perde as perspectivas, foge do presente, não tem mais projetos, tampouco desejos, e quer ver o mundo de outra margem: eis o que neste livro David Le Breton denomina "branco". O branco pode afetar homens e mulheres comuns que chegam a um esgotamento total tentando assumir seu personagem. É esse estado particular fora dos movimentos do vínculo social em que desaparecemos por um tempo do qual, paradoxalmente, temos necessidade para continuar a viver. David Le Breton oferece um livro capital que nos ajuda a compreender por que tantas pessoas hoje se deixam levar, são tomadas por "uma paixão pela ausência" face a um mundo que tudo tenta dominar e marcado por uma busca desenfreada de sensações e de aparência. Contém 249 páginas. 

67.          SOUZANoidy Barbosa. Pastor, pessoa comum com chamado incomum. São Paulo: Z3 Editora, 2018Este livro revela a verdade e sinceridade do seu autor. Passa seriedade e autoridade ministerial. De linguagem simples, mas profunda, na medida em que nos faz identificados com os desafios propostos e nos leva para os "porões" da alma pastoral. Possivelmente alcance mais os pastores, porém os membros e líderes mais comprometidos poderão se beneficiar, compreendendo o coração do pastor e sendo transformados em melhores ovelhas e melhores líderes, gente mais sensível, cuidadosa e prestativa aos seus pastores. A bagagem ministerial, cultural e espiritual do autor é bastante clara, o que lhe dá credibilidade. Na medida em que o ler as pessoas sentirão parte do processo pastoral, ora compreendendo seus próprios sofrimentos, ora encorajados e em muitos casos, orientados. Contém 160 páginas.

68.          WELLS, David F. Sem lugar para a verdade. O que aconteceu com a teologia evangélica? São Paulo: Vida Nova, 2018. A morte da teologia tem ramificações profundas. A teologia não está morrendo porque o meio acadêmico falhou em desenvolver procedimentos adequados para reconstruí-la, mas porque a igreja perdeu sua capacidade para isso. E enquanto alguns abençoam essa perda como um passo à frente em direção à esperança de nova vitalidade evangélica, ela é de fato um sinal de aproximação da morte. David oferece uma análise penetrante do estado da religião, um apelo perspicaz para a recuperação das suas prioridades intelectuais e um esboço de novas direções para os evangélicos escaparem do cativeiro cultural. Ele contém 360 páginas.

69.          CARSON, D. A. A manifestação do Espírito. A contemporaneidade dos dons à luz de 1Coríntios 12-14. São Paulo: Vida Nova, 2017. Neste livro, D. A. Carson analisa minuciosamente a questão da contemporaneidade dos dons de uma perspectiva bíblica, sem deixar, porém, de dialogar com a longa tradição da teologia cristã. Trata-se de um estudo cuidadoso e diligente que visa extrair de um dos textos bíblicos mais célebres sobre o assunto, 1Coríntios 12—14, uma interpretação consistente e precisa que seja capaz de unir carismáticos e não carismáticos por meio de uma compreensão bíblica e teológica do assunto. Ele contém 232 páginas.

70.          STEVENS, R. Paul. Deus e o mundo dos negócios. Minas Gerais: Editora Ultimato, 2008. Como será que Deus encara nossos negócios e nossa vida profissional? Por que algumas pessoas acham que trabalhar é estar num ambiente profano? Por que tantos se sentem culpados por ganhar dinheiro com seu trabalho honesto? Igreja é também um negócio? Este não é um livro do tipo “como fazer” sobre liderança ou gerenciamento, mas essencialmente sobre “como se tornar”. Lida com propósito e motivação em vez de métodos. Estimula algumas sutis habilidades e espiritualidade que irão, a longo prazo, fortalecer a base de sua empresa ou empreendimento. Ele contém 256 páginas.

71.          HICK, John. Uma interpretação da religião. Rio de Janeiro: Editora Vozes, 2018. O objetivo deste livro é tornar claro que uma justificação viável da crença religiosa, que mostre que é racional basear nossas crenças em nossa experiência, incluindo nossa experiência religiosa, leva inevitavelmente a problemas do pluralismo religioso, e que há recursos dentro das próprias grandes tradições que podem, quando apoiados por distinções filosóficas importantes, apontar para uma solução desses problemas. Na medida em que essa resolução se mostre aceitável dentro das diferentes tradições, ela dá uma base para o respeito mútuo que é necessário para o diálogo interconfessional frutífero e para a colaboração prática em vista de ameaças comuns. Ele contém 456 páginas.

72.          GROESCHEL, Craig. Direção Divina - 7 Decisões que mudarão a sua vida. São Paulo: Editora Vida, 2018. Todos os dias, a cada momento, suas escolhas ampliam ou diminuem a sua história de vida. Então, que caminho você está seguindo? Você está colhendo os benefícios de fazer as escolhas certas de forma coerente? Ou você está travado, sempre procurando uma maneira de contornar o próximo obstáculo? Onde quer que você esteja, há um caminho melhor; e você pode começar a trilhá-lo hoje. Groeschel mostra exatamente como suas escolhas podem conectá-lo a Deus e levá-lo a uma vida que você apenas imaginou que poderia existir. Esta não é outra estratégia enigmática para assumir compromissos irreais. Os passos simples, alcançáveis e disciplinados descritos em Direção divina levarão a sua vida a lugares maravilhosos e inesperados que somente Deus poderia ter planejado. Ele contém 224 páginas.

73.          FRANKL, Viktor E. A presença ignorada de Deus. Rio de Janeiro: Editora Sinodal/Vozes, 2017. Conforme o autor, a análise existencial descobriu, dentro da espiritualidade inconsciente do ser humano, algo como uma religiosidade inconsciente no sentido de um relacionamento inconsciente com Deus, de uma relação com o transcendente que, pelo visto é imanente no ser humano, embora muitas vezes permaneça latente. Essa fé inconsciente da pessoa, que aqui se nos revela e está incluída no conceito de seu "inconsciente transcendente", significaria que sempre houve em nós uma tendência inconsciente em direção a Deus. A presença ignorada de Deus, de Viktor E. Frankl, o autor da logoterapia, vai às profundezas do espírito humano ultrapassando as fronteiras do psicofísico em direção à consciência, ao inconsciente espiritual e à existência humana, à pessoa profunda. É lá que encontra a manifestação da presença de Deus. Contém 131 páginas.

74.      SPROUL, R. C. O que é teologia reformada. São Paulo: Editora Cultura Cristã, 2009. O que é Teologia Reformada? Você já se perguntou sobre os “Cinco pontos do Calvinismo”? O que eles realmente significam? Você já ouviu falar sobre Teologia Reformada, mas não está certo quanto ao que isso seja. Algumas referências a ela são positivas, outras negativas. Parece ser algo importante e você gostaria de saber mais sobre isso. Mas o que você quer é uma explicação compreensível e completa, não uma simplista. O que é Teologia Reformada? não é um livro texto, mas uma introdução acessível às crenças que influenciaram imensamente a igreja evangélica. Neste livro inspirador, R. C. Sproul conduzirá você pelos fundamentos da doutrina reformada e explicará como a fé reformada é centrada em Deus, tem por base a Palavra de Deus e é comprometida com a fé em Cristo. Sproul exporá os cinco pontos da Teologia Reformada e tornará claro para você a realidade da maravilhosa graça de Deus. Contém 175 páginas.

75.          SPROUL, R. C. A santidade de Deus. São Paulo: Editora Cultura Cristã, 1997. Se a igreja não compreende este tema básico, suas perspectivas nas outras serão afetadas. Neste importante estudo, Sproul apresenta com entusiasmo contagiante a Santidade Deus. Para milhares de pessoas, este livro abriu a porta para a descoberta da grandeza, da majestade e da glória de Deus. Contém 208 páginas.

76.          WHITE John. O caminho para a santidade. Rio de Janeiro: Editora Textus, 2005. Como nós, pecadores, podemos nos tornar santos? Com tantas falhas e limitações, poderemos imitar o Deus perfeito e infinito? Esse alvo é inatingível ou é um chamado divino, ao qual somos capazes de atender? John trata essas questões com profundidade, buscando esclarecimento em sua experiência e na de outros cristãos, que têm muito a dizer sobre as alegrias e desafios da santidade pessoal. Contém 216 páginas.

77.          MAXWELL, John C. Liderando para o sucesso. Rio de Janeiro: Thomas Nelson, 2010. Liderando para o sucesso é livro que oferece uma visão de como se tornar um mentor bem-sucedido e reconhecido pelos liderados. A obra apresenta os seguintes temas – As estratégias necessárias para pensar e agir como um mentor; como preparar as pessoas para que elas trabalhem melhor; como criar um ambiente favorável ao sucesso; o que fazer se seus liderados ultrapassarem seu nível. Contém 120 páginas.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Estudo 26: A mulher sunamita: generosa e hospitaleira - (II Reis 4.8-37)

Há um cântico que nos ensina muito é o Salmo 37.4-5, a letra diz:
“Agrada-te do Senhor e ele fará aquilo que deseja o teu coração. Entrega o teu caminho ao Senhor, e o mais ele fará. Descansa no Senhor e espera nele. Pois, ele é a tua salvação, ele é o teu castelo e o teu refúgio na tribulação. Confia no Senhor e ele agirá, confia no Senhor e ele agirá“ [1].  É exatamente sobre essa providência de Deus na vida do seu povo que quero falar, usando esse exemplo da mulher sunamita. Esta que foi agraciada por Deus pela instrumentalidade do profeta Eliseu. Sabemos que o significado do nome de Eliseu é: Jeová é salvação. A meu ver combina com sua missão como profeta desse período. Ele foi um dos maiores profetas desse período juntamente com o seu antecessor, o profeta Elias. Ambos foram profetas no Reino do Norte de Israel. Eliseu era filho de Safate, habitava em Abel- Meolá do Vale do Jordão e pertencia a uma família próspera. Quando Elias estava no monte Horebe desanimado e triste, Deus fa…

Emoção X Razão: Mulheres agem de forma emocional, homens se comportam racionalmente

Recentemente li o livro Homens são de Marte, mulheres são de Vênus de John Gray. Ele diz que quando se aborrecem, os homens querem silêncio e solidão. Já entre as mulheres, as preocupações resultam na matraca desenfreada, pois, falando acalmam-se. O ego masculino é movido à base de conquistas, o feminino é pura emoção. Ele deve escutá-la, e ela deve compreender seu silêncio. Conclusão: marido e mulher não falam a mesma língua, não são do mesmo planeta. Na maioria dos processos normais, a mulher age de forma emocional, enquanto o homem se comporta de forma racional. Na nossa cultura costumamos dizer que os homens são insensíveis, durões e bem insensíveis. E com respeito às mulheres que elas são pura emoção e coração. John Gray diz que “quando os homens e mulheres são capazes de respeitar e aceitar suas diferenças, então o amor tem uma grande chance de desaborchar” (GRAY, John. Homens são de Marte, mulheres são de Vênus. São Paulo: Editora Rocco, 1997, p. 24). O grande problema é que convi…

Histórias da vida

A mentalidade dogmática deseja prender a verdade na malha das suas palavras, entendo que ela se equivoca. Acredito que nós aprendemos, falamos e escrevemos interpretando cada ponto da nossa história de vida. Na interpretação passam verdades, mas nunca absolutas, nossa história tem várias facetas.  Temos um quadro da nossa história e ela vai acontecendo com várias interpretações e olhares dentro de nós mesmos. Gosto demais de relembrar a história da minha vida. Lembro-me sempre dos momentos bons e ruins dela. Eu tive momentos de profunda tristeza, mas neles, vi o mover de Deus me ensinando a passar pelos vales dela, com a percepção da graça divina em mim sempre. Vi amigos chegados morrendo, vi amigos conquistando e perdendo. Vi histórias de vidas sendo tocadas por Jesus Cristo de Nazaré. Como é bom poder enxergar o passado com graça e com a noção no íntimo de que Deus esteve presente em cada detalhe.  As histórias serão sempre histórias contadas por nós dentro da alma e do coração. Cada …