A cosmovisão da fé verdadeira

Vivemos num mundo que é um campo de batalha na arena das ideias. Temos usado a cosmovisão da fé cristã que temos e cremos para combater os testes da razão, da lógica e da experiência. Vivemos um Século do relativismo crônico, e das meias verdades. 
Gosto demais de um teólogo chamado Ronald H. Nash e no seu livro: Cosmovisões em conflito, ele afirma: Os óculos corretos podem colocar o mundo num foco mais claro, e a cosmovisão correta pode funcionar em muito da mesma forma. Quando alguém olha para o mundo a partir de uma perspectiva de uma cosmovisão errada, o mundo não faz muito sentido para ele. Ou o que ele pensa que faz sentido, de fato, estará errado em aspectos importantes. Colocar o esquema conceitual correto, isto é, ver o mundo através de uma cosmovisão correta, pode ter repercussões importantes para o resto do entendimento da pessoa dos eventos e ideias.
A nossa cosmovisão da fé cristã é que os seres humanos não são neutros com respeito a Deus. Cremos plenamente que Deus criou o cosmos, criou o ser humano. Cremos que esse ser humano rejeitou a comunhão com o Criador e caiu em pecado. E cremos que ele precisa de redenção no coração. Cremos que o Senhor e Salvador Jesus Cristo é a solução divina para essa quebra da comunhão que havia lá no Éden entre Deus e o ser humano. A lógica de pensamento com uma resposta muita séria é que podemos, pela graça amorosa do Deus Eterno, adora-lo como Criador e Senhor, ou darmos as costas para Ele. 
Uma pergunta que fica para nós é: qual a cosmovisão que temos em nosso coração? Uma que fala de relativismo? Que podemos tudo e até andar em função de nós mesmos, traçando o nosso caminho? Ou a cosmovisão da fé cristã que fala da realidade de criação, queda e redenção? A cosmovisão da fé cristã tem um sentido e ela claro, passa pela fé no Deus das Escrituras que ama e redime pecadores. Que Deus mesmo, na sua graça, nos ajude a crer nele e viver cosmovisão da fé verdadeira, pura e genuína. (Alcindo Almeida)

Comentários

Postagens mais visitadas