A paixão de Cristo

Nessa semana pensamos, refletimos e ponderamos sobre a paixão de Jesus Cristo de Nazaré. Pensamos no seu sofrimento e entrega profunda por nós. O texto afirma: Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito (Lucas 23.46). A paixão de Cristo é o acontecimento mais dramático e misterioso da história. Nela adquirem uma relevância impressionante a dor humana no seu mais alto grau; o pecado na sua mais trágica repercussão; o amor na sua expressão mais generosa. A morte na sua mais cruel vitória e na elevada dor. 
Toda vez que lemos esse texto nos chocamos demais porque não conseguimos expressar com os sentimentos, essa entrega do mestre em favor de pecadores como nós. Ele veio aqui e obedeceu ativamente os preceitos da Lei, porque Adão não o fez. Ele também obedeceu passivamente sofrendo no corpo toda a dor da nossa pena. Meu Deus! Fico a pensar e entro em pane na alma, porque não consigo entender porque esse Deus tão santo, amoroso e poderoso se submeteu a tamanho sofrimento e entrega! 
A paixão, morte e ressurreição de Cristo continuam a suscitar a perplexidade na minha alma. Porque o Deus Trino resolveu amar a gente desse jeito porque tinha que ter um preço a ser pago. Esse mistério do cristianismo teve muita coisa acontecendo: traição, abandono, condenação, zombaria, flagelação, injustiça, crucificação, ódio e rancor. Jesus Cristo de Nazaré sofreu como nunca para trazer perdão, amor, redenção e vida eterna para pecadores. Somos gratos, somos pessoas felizes e abençoadas por termos o toque divino em nós, através dessa entrega divina do Cordeiro de Deus na Cruz do Calvário! Louvado seja o nosso Redentor Jesus de Nazaré! (Alcindo Almeida).

Você também pode gostar

0 comentários