Salmos para o coração

Eugene Peterson no seu livro A oração que Deus ouve - Os Salmos como guia básico de oração - diz algo muito importante sobre a questão da oração e da fé nos Salmos:

"As pessoas de fé tomam posse dos Salmos com a mesma atitude e pela mesma razão que os jardineiros empunham a enxada e o ancinho em sua jornada à horta de vegetais, e que os estudantes carregam papel e lápis quando adentram uma sala de leitura. Adquirir tais ferramentas para executar o trabalho humano de modo mais fácil e eficiente é apenas uma questão de ordem prática. Duas coisas são admiráveis com respeito aos Salmos. Uma é que, na prática da oração, eles têm sido marcados por uma extravagante afirmação. A outra é que, na história da oração, eles se colocam com uma singularidade desconcertante".

Nos Salmos aprendemos a abrir o nosso coração e dizer para Deus o que sentimos. Ao orarmos nos Salmos dizemos ao Eterno Deus o que está se passando na nossa alma e coração. Na condição humana a oração é básica à nossa existência. Eugene Peterson nos mostra que oração alcança o desconhecido seja o que for que sentimos, bem dentro de nós, proverá integridade ou, muito mais que esperamos, nos trará salvação. Há mais no ser humano que simples instinto de sobrevivência: há Deus.
Leiamos os Salmos para vermos os movimentos da alma, para sentir Deus em cada toque da nossa respiração. Leiamos os Salmos para nos abrir diante da Trindade e dizer a ela o que somos e o quanto necessitamos da graça divina na vida! (Alcindo Almeida).

Comentários

Postagens mais visitadas