Pular para o conteúdo principal

Leituras em julho de 2017


1. MANNING, Brennan. A implacável ternura de Jesus.  São Paulo: Naós, 2011. Deus é um juiz irado? Aquele que cura bondosamente? Um pai? Irmão? Amigo? Brennan leva você a um entendimento mais profundo da verdadeira natureza de Deus. Por meio de histórias comoventes e inesquecíveis e de observações desafiadoras, Manning o ajuda a ampliar sua mente e a rejeitar explicações simplistas de quem Deus realmente é. Com discernimentos ricos, você verá como Deus pode ser ao mesmo tempo um leão que ruge, andando compassadamente sobre o globo e procurando você, e um cordeiro terno, alerta para confortá-lo sempre que precisar. Uma experiência única, este livro mudará para sempre o modo como você pensa sobre Deus. Contém 175 páginas.

2. PETERSON, Eugene. A grande busca. São Paulo: Editora Vida, 2015. Espiritual, mas não religioso. É assim que você se descreve? Você está buscando conhecer mais acerca de Deus — o que quer que você pense que Deus seja — com suas condições e de seu próprio jeito? E, acima de tudo, está buscando alguma coisa real, estando disposto a obter todas as informações e insights honestos que conseguir? É isso que este livro oferece a você: a coleção de histórias e informações espirituais apresentada aqui visa ajudar você em sua busca por Deus. Você descobrirá que a sabedoria antiga é imprescindível para sua vida hoje. Contém 383 páginas. 

3. STANLEY, Charles. Nas mãos de Deus. Rio de Janeiro: Thomas Nelson, 2011. A oração é essencial para qualquer pessoa que tem fé. Através dela, podemos nos conectar com Deus, mudar a história e tomar decisões acertadas. No entanto, muitas pessoas não aproveitam esse presente divino. Com o livro Nas mãos de Deus, Charles Stanley, experiente conselheiro espiritual, elabora um guia definitivo para quem deseja colocar a oração em prática na própria vida. Contém 222 páginas.

4. JUNIOR, Manuel Alexandre. Aconselhamento bíblico. São Paulo: Vida Nova, 2016. O modelo de aconselhamento bíblico proposto nessa obra tem por objetivo: Encorajar a igreja local e seus membros, a começar pelos líderes espirituais, a assumir, como verdadeiros “médicos de almas”, a plenitude de sua missão como comunidade terapêutica. Promover na igreja local o exercício dos dons espirituais para um serviço comunitário mais solidário e eficaz, tanto no cultivo de relacionamentos saudáveis quanto na administração saudável das emoções que acompanham os mais diversos quadros de enfermidades e disfunções mentais. Aconselhamento Bíblico tem como propósito contribuir para uma vida de plenitude harmonia, palavras que refletem bem a razão de ser dessa obra, pois sugerem percursos de sucesso espiritual, a despeito dos problemas e contradições da vida, e apontam para patamares crescentes de vitória interior, relacional e espiritual. Seu maior propósito é a fascinante superação de nós mesmos como predestinados de Deus para nos realizarmos e sermos cada dia mais felizes, ajudando todos aqueles que, em agonia de alma, cruzam o nosso caminho. Contém 251 páginas.

5. STANLEY, Charles. A obra do Evangelho. Como o Senhor me guiou. São Paulo: Editora: Verdades Vivas 1994. Inglaterra, século dezenove. Em meio a ruína da cristandade professa ouve-se um clamor: "Aí vem o noivo!" E, como se despertassem de um longo sono, muitos são levados, pelo Espírito, a compreender verdades há muito encobertas, como a segurança eterna, a unidade do corpo de Cristo e o arrebatamento da Igreja. Em meio a tudo isso, um fervor evangelístico começou a cobrir toda a Grã-Bretanha, e espalhou-se por todo o mundo levando as boas novas da salvação. Contém 344 páginas.

6. CHIANG, Alex. E agora, o que eu faço? Descubra como superar uma desilusão amorosa. São Paulo: SBB, 2016. Há momentos na vida em que os jovens enfrentam situações onde necessitam de muito apoio e esclarecimento. Situações como: amor não correspondido, desilusão amorosa e término de relacionamentos. Esta é a temática deste livro que tem importante questionamento como título - E agora, o que eu faço? Contém 134 páginas.

7. BARBER, Cyril. Neemias e a dinâmica da liderança eficazSão Paulo: Editora Vida, 2011.  Planejamento do trabalho, administração do tempo e recursos, integração de tarefas, motivação de equipes, avaliação de resultados, estabelecimento de alvos realistas. Estas são algumas lições que Cyril Barber aprendeu ao estudar a vida de Neemias. A inspiração sublime desse livro da Palavra de Deus também auxiliará você a lidar com outras questões importantes: Como solucionar problemas da média administração. Como lidar com a oposição. O que fazer ao assumir um novo cargo. Como proceder em situações delicadas e a importância e o valor prático das convicções religiosas na administração eficazA aplicação dos princípios encontrados no livro de Neemias proporcionará a você uma vida profissional bem-sucedida e abençoada! Contém 215 páginas.

8. DUARTE, Noélio. O incrível poder da motivação.  United Press, 2007. Pessoas produzem mais quando estão envolvidas em projetos regidos pela motivação pessoal. Duas pessoas exercendo a mesma função podem apresentar resultados diferentes: um produz mais e a outra menos. Porque isto? A resposta pode estar no fato de que uma age regida pela motivação e a outra, não! A motivação ainda é revestida de grandes mistérios para a maioria das pessoas. E, apesar de tantos livros, artigos, estudos dissertações, teses, pesquisas, ainda continua pouco compreendida. Mas um fato não se pode negar: é uma ferramenta essencial e necessária para produtividade humana. Contém 239 páginas.

9. QUEIROZ, Sergio. Gloriosas ruínas. São Paulo: Mundo Cristão, 2015. Um livro feito sob medida para quem está sedento por uma mensagem reconfortante e não menos desafiadora. Ele foi escrito para pessoas que desejam restaurar qualquer aspecto de sua vida que se encontre em ruínas. Com carinho pastoral, sua marca distintiva, Sérgio Queiroz revisita a experiência de Neemias, um simples assistente do rei da Pérsia que assumiu para si a tarefa de reconstruir os muros de Jerusalém e restaurar a dignidade do povo judeu após décadas de exílio na Babilônia. O texto comovente de Sérgio revela-se um guia seguro e gratificante em processos de restauração pessoal, relacional ou social. Contém 173 páginas.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Estudo 26: A mulher sunamita: generosa e hospitaleira - (II Reis 4.8-37)

Há um cântico que nos ensina muito é o Salmo 37.4-5, a letra diz:
“Agrada-te do Senhor e ele fará aquilo que deseja o teu coração. Entrega o teu caminho ao Senhor, e o mais ele fará. Descansa no Senhor e espera nele. Pois, ele é a tua salvação, ele é o teu castelo e o teu refúgio na tribulação. Confia no Senhor e ele agirá, confia no Senhor e ele agirá“ [1].  É exatamente sobre essa providência de Deus na vida do seu povo que quero falar, usando esse exemplo da mulher sunamita. Esta que foi agraciada por Deus pela instrumentalidade do profeta Eliseu. Sabemos que o significado do nome de Eliseu é: Jeová é salvação. A meu ver combina com sua missão como profeta desse período. Ele foi um dos maiores profetas desse período juntamente com o seu antecessor, o profeta Elias. Ambos foram profetas no Reino do Norte de Israel. Eliseu era filho de Safate, habitava em Abel- Meolá do Vale do Jordão e pertencia a uma família próspera. Quando Elias estava no monte Horebe desanimado e triste, Deus fa…

Emoção X Razão: Mulheres agem de forma emocional, homens se comportam racionalmente

Recentemente li o livro Homens são de Marte, mulheres são de Vênus de John Gray. Ele diz que quando se aborrecem, os homens querem silêncio e solidão. Já entre as mulheres, as preocupações resultam na matraca desenfreada, pois, falando acalmam-se. O ego masculino é movido à base de conquistas, o feminino é pura emoção. Ele deve escutá-la, e ela deve compreender seu silêncio. Conclusão: marido e mulher não falam a mesma língua, não são do mesmo planeta. Na maioria dos processos normais, a mulher age de forma emocional, enquanto o homem se comporta de forma racional. Na nossa cultura costumamos dizer que os homens são insensíveis, durões e bem insensíveis. E com respeito às mulheres que elas são pura emoção e coração. John Gray diz que “quando os homens e mulheres são capazes de respeitar e aceitar suas diferenças, então o amor tem uma grande chance de desaborchar” (GRAY, John. Homens são de Marte, mulheres são de Vênus. São Paulo: Editora Rocco, 1997, p. 24). O grande problema é que convi…

Histórias da vida

A mentalidade dogmática deseja prender a verdade na malha das suas palavras, entendo que ela se equivoca. Acredito que nós aprendemos, falamos e escrevemos interpretando cada ponto da nossa história de vida. Na interpretação passam verdades, mas nunca absolutas, nossa história tem várias facetas.  Temos um quadro da nossa história e ela vai acontecendo com várias interpretações e olhares dentro de nós mesmos. Gosto demais de relembrar a história da minha vida. Lembro-me sempre dos momentos bons e ruins dela. Eu tive momentos de profunda tristeza, mas neles, vi o mover de Deus me ensinando a passar pelos vales dela, com a percepção da graça divina em mim sempre. Vi amigos chegados morrendo, vi amigos conquistando e perdendo. Vi histórias de vidas sendo tocadas por Jesus Cristo de Nazaré. Como é bom poder enxergar o passado com graça e com a noção no íntimo de que Deus esteve presente em cada detalhe.  As histórias serão sempre histórias contadas por nós dentro da alma e do coração. Cada …