Livres de condenação

Novamente compartilho algo do que li no livro Ego Transformado de Tim Keller. Ele nos mostra que o apóstolo Paulo tinha consciência mesmo do que aconteceu através da justiça divina, ela o livrou de qualquer condenação. Paulo, mostra a essência de não se importar com julgamentos e nem com elogios. O motivo? Deus o julga. Só a opinião de Deus importa para Paulo. Ele diz em I Coríntios 4:3: Todavia, a mim mui pouco se me dá de ser julgado por vós, ou por algum juízo humano; nem eu tampouco a mim mesmo me julgo. E o texto de Romanos 8:1 mostra também que nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus. Não estamos mais no tribunal. Não estamos mais diante de defesa ou acusação. 
O que Deus vê quando olha pra nós é o seu filho Jesus Cristo de Nazaré. Nosso desempenho na vida cristã não é para alcançarmos um bom veredicto, pelo contrário, nós nos desempenhamos bem, porque o veredicto já foi dado. Fazemos o que fazemos (obras) por gratidão, louvor e rendição diante do Eterno Deus. Precisamos desenvolver a humildade que vem do Evangelho, e saber que Deus é quem nos julga. Ele já o fez, na pessoa de Jesus Cristo na Cruz. Isso é algo profundo demais para a nossa jornada cristã. 
Que Deus nos ajude a parar de buscar elogios pelo que fazemos, ou de nos entristecer pelas críticas que recebemos. Nosso ego é problemático, é vazio, dolorido, atarefado e frágil. Devemos ter o ego satisfeito em Deus, sabendo que não importa a opinião das pessoas, e muito menos o que nós achamos de nós mesmos. O que importa é o que Deus pensa, o que ele faz e opera em nós. Afirmo que se vivermos em função do nosso ego, padeceremos, mas se vivermos como Paulo que se gloriava a cada dia em Deus, teremos paz interior a cada instante da nossa vida. Que Deus nos ajude na sua graça! (Alcindo Almeida).

Comentários

Postagens mais visitadas