A visão da sarça

Olhamos para a historia de Moisés e vemos que ele foi o instrumento de Deus para libertar Israel das garras do Egito. Moisés, num momento de ira, matou um egípcio e precisou primeiro se confrontar com sua inutilidade, que vê refletida na imagem da sarça ardente, para, como um fracassado, ser instrumento nas mãos do Eterno Deus. 
A sarça é a imagem do sentimento que Moises tinha a respeito de si mesmo no estrangeiro. Ele fracassou na ajuda para seu povo, e tem que fugir. A sarça a beira do deserto é um arbusto sem valor. Ele representa o fracasso mesmo, a sequidão, a exaustão, a falta de valor e o menosprezo. Mas, o texto de Êxodo 3:2 diz que essa sarça ardia sem se queimar. Que extraordinário para o coração da gente hoje. Nós nos sentimos como essa sarça, somos fracos, vazios nas forças, secos, desprezados e consumidos. Mas, apesar de tudo, algo ainda em nós arde, sem que queimemos. Apesar de toda fraqueza que temos, há em nós o fogo de Deus, a glória e o poder dele dentro de nós. Somente por causa disso que não perecemos na vida. 
Somos como essa sarça, ela sozinha não é nada, mas como o fogo divino ardendo nela, ela fica viva e não perece. Desse fogo,  Deus fala com Moisés e ele entende seu chamado, sua missão de conduzir o povo de Israel diante de Faraó, não com sua força, mas com a de Deus, não com seu potencial, mas com o de Deus. Moisés até se sente fraco como a sarça, mas a fala do Eterno para ele foi: Eu estou contigo. No meio da fraqueza desse homem que ate gaguejava para falar, Deus mostra o seu poder através da visão da sarça que em si mesma era fraca, mas com o poder de Deus ficou com o fogo permanente divino. 
Assim, é na nossa vida. Deus olha para nós apesar da nossa fraqueza e limitação e nos usa para sua própria gloria! A força vem de cima para fazermos a vontade de Deus, apesar de nós, apesar das nossas limitações. Moises foi grande não por ele mesmo, mas pela graça divina que agiu nele! Que a graça divina seja sobre nós sempre! (Alcindo Almeida).

Comentários

Postagens mais visitadas