Leituras em dezembro de 2015

COOTSONA, Greg. Aprenda a dizer não. São Paulo: Mundo Cristão: 2011. Para ter o trabalho dos sonhos são necessárias horas de dedicação. As noites mal dormidas acabam te deixando muito cansado, o tempo passa muito rápido, e os finais de semanas acabam não sendo aproveitados. A família deseja sua presença o tempo todo e acaba não tendo. Se algumas destas coisas estão acontecendo com você, então este livro será ideal, pois você precisa aprender a dizer não. Muitas pessoas não conseguem dizer não, pois existe uma ideia de que, ao dizer não, muitas oportunidades serão perdidas. Quando as pessoas agem dizendo sim a tudo, acabam se prejudicando e a muitos que estão a sua volta. No livro você encontrará dicas de como aprender a dizer não nas áreas da vida pessoal, amorosa e do trabalho, e assim, ter paz, alegria e saúde. Contém 176 páginas.

LEMAN, Kevin. 12 lições para ser o pai ideal. São Paulo: Pórtico, 2015. Muito se comenta sobre a influência que uma formação sólida na infância tem para uma vida adulta saudável, porém pouco se fala do impacto da figura do pai neste processo. Escrito pelo autor best-seller e especialista em relações familiares Dr. Kevin Leman, 12 lições para ser o pai ideal apresenta uma abordagem realista para os pais, desenvolvendo neles as habilidades que precisam para criar seus filhos no mundo real. “Muitos pais vivem um medo constante de fazer algo errado que possa atrapalhar seus filhos. Pensam: ‘Um erro e pronto: meu filho está perdido’, mas não é bem assim!”, explica Leman. “As crianças de hoje não precisam de pais perfeitos, mas de bons pais”, garante. Neste livro, pais terão a oportunidade de aprender como a sua autoridade, exercida de maneira saudável, pode fazer diferença, e como a disciplina – ou a falta dela – pode ser contra produtiva para os seus filhos. Contém 272 páginas. 

MCGRATH, Alister. Teologia Sistemática, histórica e filosófica. Uma introdução à Teologia cristã. São Paulo: Shedd Publicações, 2005. A missão deste livro é apresentar os temas básicos da teologia cristã. Ele parte do pressuposto que o leitor não tem conhecimento profundo sobre teologia em geral, assim, pode ser considerado uma excelente introdução à "tentativa de compreensão dos recursos básicos da fé, feita à luz daquilo que cada época considera como os melhores métodos". E apesar de ser uma introdução, o livro cobre os dois mil anos de debate teológico cristão. Inclui ainda matérias filosóficas, históricas e sistemáticas da teologia, além de fornecer uma rica informação a respeito das mais variadas escolas de pensamento para cada tema abordado: um livro ímpar, indispensável e extremamente atual. Contém 664 páginas.

HOUSTON, James M. Bruce K. Waltke E. Os Salmos como adoração cristã. Um comentário histórico. São Paulo: Shedd Publicações, 2015. Esta colaboração por dois estimados eruditos evangélicos integra uma exposição versículo por versículo de salmos selecionados, com a história da sua interpretação na igreja desde o tempo dos apóstolos até os dias atuais. Waltke e Houston focam seu detalhado comentário em treze salmos que representam diversos gêneros e perspectivas, ou que têm importância especial para a fé cristã e a vida da igreja, incluindo os Salmos 1, 23, 51 e 139. Contém 608 páginas.

PEREIRA, Jeremias. Família conectada. Minas Gerais: Oitava IPB, 2015. Jeremias traz várias reflexões sobre os momentos das famílias. Exemplos: pedir perdão, dar uma rosa, tomar cuidado com a língua e desfrutar de um tempo com a família precioso. Contém 151 páginas.

MAGNO, Gregório. Patrística - Regra Pastoral - Vol. 28. São Paulo: Paulus, 2010. A leitura atenta da obra faz notar que Regra não se refere tanto a normas, a preceitos, mas, sim, a modo de vida. A Regra Pastoral é, portanto, uma descrição do dinamismo entre o ser e o agir do pastor – a quem foi destinada, mesmo se não exclusivamente –, o que a faz uma obra de grande atualidade e utilidade, não só para ministros ordenados, mas para todos os envolvidos em atividades pastorais. Contém 258 páginas.


MANNING, Brennan. O impostor que vive em mim. São Paulo: Mundo Cristão, 2007. No livro, o autor de O evangelho maltrapilho reflete simultaneamente sobre a dupla condição da vida humana: frágil e dependente do Criador, mas ao mesmo tempo valorizada e querida por aquele que a gerou. A graça, referência única e suficiente, é o eixo sobre o qual Manning estabelece esta reflexão apaixonante, que conduz a um estado de êxtase e prostração jubilosa. Deus nos ama como somos, e quer estabelecer uma relação íntima com aqueles que se despojam do ego impostor e clamam: "Aba, Pai!" Contém 192 páginas.

Comentários

Postagens mais visitadas