O olhar de Jesus

(Mateus 9.10-11)

Max Lucado diz algo extraordinário: O segredo para amar é ser amado. Esse é o primeiro passo esquecido nos relacionamentos [1].
O texto de Mateus 9.10-11 diz: Estando Jesus em casa, foram comer com ele e seus discípulos muitos publicanos e pecadores. Vendo isso, os fariseus perguntaram aos discípulos dele: Por que o mestre de vocês come com publicanos e pecadores?
Esse era um grande problema dos fariseus, eles não sabiam o que era ser amado porque nunca experimentaram o amor de Deus na vida. Por isso, eram secos e notaram só o fato de Jesus comer com pecadores. Nem notaram a importância dele investir em pecadores e amar gente que estava perto dele.
Provavelmente ao comer em casa com pecadores, Jesus quis chamar a atenção daquela classe “humilde” e “simples” que era a dos fariseus. Claro que estou ironizando. Meu Deus! Que raça miserável essa dos fariseus não? Ela só olhava para o lado externo das pessoas, para as atitudes superficiais das pessoas. Uma pena que nunca olhavam para si mesmos, para o jeito arrogante de se postar diante de Jesus! Eles se achavam os donos do cristianismo e eram na verdade uns coitados mesmo!
A chamada do texto é que muitos publicanos e pecadores comem com Jesus e seus discípulos. Isso mexe demais com os fariseus e vem a pergunta básica: Por que o mestre de vocês come com publicanos e pecadores? Fico me perguntando no texto o que Jesus quer ensinar para essa classe comendo com publicanos e pecadores.
Acredito Jesus quer ensinar que ele não se importa com o exterior, ele olha para a página interna do ser humano. Mateus diz que os pecadores estão com Jesus, isto é, homens de vida iníqua e de caráter falho. Os publicanos também estão com ele e com os discípulos, exatamente a classe odiada e desprezada. É com esse tipo de pessoas que o nosso mestre come e celebra a refeição.
É como se hoje os pastores fossem a Brasília e comessem publicamente com os mais corruptos do Senado e da Câmara Federal. Essa atitude produziria vergonha e humilhação. Pois bem, é isso que o mestre faz porque ele olha lá dentro da alma. Ele sonda o coração das pessoas que nós desprezamos, mas ele ama, acolhe e abraça. Ele come junto e ri junto com elas.
Jesus celebra o momento da refeição com gente que nos causa vergonha e repúdio. Mas, o mestre não se importa com isso porque ele vai lá dentro do coração e vê tudo. Ele celebra, para escândalo dos fariseus com os publicanos e com pecadores, esses que eram pessoas ímpias e detestáveis.
Claro que essa classe arrogante queria atacar os discípulos de Cristo com o fim de censurá-lo. Havia a intenção de barrar a autoridade e poder de Jesus com aquele questionamento. Havia um questionamento quanto à santidade e vida pura do mestre ao se envolver com pecadores daquela maneira. Então na perspectiva deles, Jesus e seus discípulos eram ignorantes e vacilantes. Só que Jesus não se preocupa em nenhum momento com o que pensariam sobre a atitude. Ele apenas celebra aquele momento. Ele cultiva o momento de alimento com aquele tipo de gente.
Jesus nos convida para olhar para as pessoas como ele mesmo olha. Devemos olhar para o coração e não para o externo das pessoas. Quantas vezes, vemos pessoas corretas e todas certinhas, mas no interior elas são ocas, perdidas e completamente vazias. Esse era o caso dos fariseus. Eles eram ocos por dentro, gostavam de olhar para as partes externas das pessoas, porém, eles não passavam de falsos, hipócritas e sem Deus no coração.
Quantas vezes nas nossas empresas, medimos as pessoas, achamos que elas não são nada. Menosprezamos seus estilos e até as julgamos como incompetentes. E nem percebemos que eles podem ter potencial, mas, por causa dos estereótipos medimos e perdemos oportunidades preciosas de relacionamentos e até de bons trabalhos na caminhada profissional.
Olhemos para a maneira de Jesus lidar com o ser humano, ele não liga o que pensarão acerca dele. Ele não se incomoda em comer com gente que perante a sociedade da sua época, não valia absolutamente nada. Ele senta, conversa e come com elas.
Esse Jesus da encarnação é sempre assim, ele olha lá dentro e não precisa de muito tempo para mudar uma história, apenas de um momento porque ele sonda e conhece todo o nosso coração. Nós medimos a parte externa sempre, ele não, ele sonda a pagina interna e vê o que há de bom e ruim em nós.
Jesus quer que sentemos com as pessoas e celebremos o alimento sem selecionar o tipo de gente, apenas quer que tratemos com todos os tipos de pecadores. É verdade absoluta que não precisamos e nem devemos andar como vários deles andam, mas devemos mostrar a verdade que liberta o coração e nos faz viver com alegria e graça na presença do Senhor Jesus Cristo.
Precisamos imitar esse Jesus que olha para as pessoas sem dificuldades e sem empecilhos. Porque ele olha com graça, compaixão, amor e perdão.
Olhemos como Jesus olha a vida humana, ele olha com amor e graça!
_____________
Alcindo Almeida: membro da equipe pastoral da Igreja Presbiteriana da Alphaville em São Paulo.  
[1] LUCADO, Max. Amor acima de tudo. Thomas Nelson: Rio de Janeiro, 2010, p. 19.

Comentários

Postagens mais visitadas