Leituras em julho de 2015


1.                  SIMÕES, Mário Kaschel & Neco Simões. Segredos do sucesso no casamento. São Paulo: Editora Genesis, 2014. Confesso que pelas palestras do Mario, fiquei decepcionado com o conteúdo do livro. Não tem uma forma de lidar com as demandas diárias do casamento visando o sucesso no sentido relacional e espiritual. Como autor, fico até constrangido de comentar porque nas palestras, o autor manda muito bem! Contém 101 páginas.

2.                  BOTELHO, Marcos e Victor Fontana. Ontem Esponja, Amanhã Peneira. O direito de ligar e desligar na sociedade da informação. Minas Gerais: Ultimato, 2015. O mundo muda rapidamente e acompanhar as mudanças não tem nada a ver com a idade. Não é raro ver nas redes sociais adultos nadando de braçada e jovens se afogando. Se antes a informação era escassa e guardá-la era uma ordem, hoje a memória se tornou inútil – estamos sempre conectados. Como lidar com a informação sem se tornar escravo dela? É preciso saber filtrar, escolher, desligar. É disso que trata Ontem Esponja, Amanhã Peneira. Contém 110 páginas.

3.                  NICODEMUS, Augustus. Polêmicas na Igreja. São Paulo: Mundo Cristão, 2015. O livro do mestre e amigo Augustus é um convite para avaliarmos o quadro atual da igreja com os modismos e uma teologia furada, sem padrão, sem Escrituras e sem os pés no chão. Lendo o livro fiquei pensando no monte de loucos e insanos que temos naquilo que chamamos de igreja brasileira. Quanta cultura do lixo teológico tem tornado nossa igreja brasileira em algo frágil. O livro ajuda bastante a vermos a necessidade de um retorno sério para o ensino genuíno e sadio das Escrituras Sagradas. Vale a pena a leitura desse precioso livro! Contém 220 páginas.

4.                  AGOSTINHO, Tomás de Kempis. Clássicos da literatura cristã. São Paulo: Mundo Cristão, 2015. Três dos maiores clássicos da literatura cristã presentes no cânon da literatura universal estão à sua espera, prontos para serem revisitados. Na edição que você tem em mãos, elaborada a partir de novas traduções, Pais Apostólicos, Confissões e a Imitação de Cristo ganham força revigorada que não somente ratificam o tesouro que são para a humanidade, como comprovam que continuam a ser fonte inspiradora para a fé cristã neste início de século. Num momento em que o cristianismo é desafiado pelas transformações sociais, tecnológicas e pelo avanço da perseguição religiosa em várias partes do globo, voltar aos clássicos permite reconhecer que fazemos parte de uma história cujo autor dela nunca se desapegou. Contém 576 páginas.

5.                  LEWIS, C. S. Os quatro amores. São Paulo: Martins Fontes, 2009. Os quatro amores que C.S. Lewis distingue neste livro são a Afeição, a Amizade, Eros e a Caridade. Examina como cada um se combina aos demais, sem perder de vista a diferença necessária e real entre eles. Lewis nos adverte também dos enganos e distorções que podem tomar os três primeiros amores - os amores naturais - perigosos sem a graça suavizante da Caridade, do amor divino que deve constituir a somatória e o objetivo de todos os demais. Contém 208 páginas.

6.                  MCGRATH, Alister. Conversando com C. S. Lewis. São Paulo: Portico Editora, 2014. McGrath nos apresenta o grande escritor como o companheiro perfeito para uma conversa e suas respostas para as perguntas que todo mundo faz. O que faz de Lewis um bom parceiro de diálogo é a sua ampla visão sobre muitas coisas, como o ateísmo de sua juventude até a sua conversão tardia, seu ceticismo racional até o seu apreço aos valores humanos e sua imaginação, do seu papel como um apologista cristão e de um célebre autor clássico de literatura infantil. Conversando com C. S. Lewis será seu guia para uma conversa esclarecedora e intrigante sobre tudo que nos intriga. Contém 224 páginas.

7.                  KELLER, Timothy. Gálatas para você. São Paulo: Vida Nova, 2015. Junte-se a Keller na exposição da Carta de Paulo aos Gálatas. Entenda seu significado e veja como ela transforma nosso coração e nossa vida hoje. Escrito para pessoas de todas as idades e etapas da vida, de pesquisadores a novos crentes, de pastores a professores, este material pode ser utilizado de diversas formas e foi feito para você. Contém 208 páginas.

8.                  CASTILLO, José Maria. A ética de Cristo. São Paulo: Loyola, 2010. O livro sustenta que os ensinamentos de Jesus de Nazaré oferecem um critério que pode levar à convivência mais humana. Trata-se de substituir o princípio do dever pelo princípio da necessidade básica da vida. Contém 213 páginas.


Comentários

Postagens mais visitadas