A tensão da cidade


Tim Keller trabalha algo sério e relevante no livro Igreja centrada, A tensão da cidade. A cidade é uma forma social em que as pessoas ficam próximas. Primeiro, as cidades significam segurança e estabilidade. Segundo, elas têm diversidade. Terceiro, produtividade e criatividade, a cultura humana começou a se desenvolver nas cidades (Gn. 4.11). Numa progressão redentora, o conceito bíblico a respeito de cidades passa a se tornar positivo. Keller faz a comparação que começa com a rebelião de Babel e Sodoma e passa a enfatizar a importância e força das cidades como Jerusalém. 
Na visão de Babel, a torre foi construída para a cidade ganhar uma identidade à parte de Deus, nesta história vemos como as cidades podem ser conduzidas pelo pecado da auto-glorificação e auto-salvação. Babel é o significado do reino humano que cultiva o individualismo e o domínio terreno. Então Deus projeta conforme o Salmo 48 a perspectiva de Jerusalém. Babel tem a ver com pessoas trabalhando para a própria glória, enquanto Jerusalém trabalha visando a glória Deus. 
A perspectiva de Jerusalém faz com que as cidades tenham mais imagem de Deus por metro quadrado que qualquer outro lugar do mundo. A perspectiva de Jerusalém faz amar e servir as cidades e fortalecer as mãos do povo de Deus, que carregam a mensagem do Evangelho no mundo. Nós somos os cristãos que enxergamos o plano de Deus para as cidades, e o plano é de uma história redentora. A cidade de Deus é uma cidade baseada em sua glória e no serviço sacrificial a Deus e ao próximo. Essa cidade apresenta um cenário de paz e justiça. Nessa Jerusalém tem a arca da aliança que simboliza a presença de Deus. Essa presença traz segurança a cidade. Ela tem um templo, uma casa para celebrar a comunhão e oração de pessoas. E ela tem um rei justo chamado Davi que investe e como servidor da sua geração a protege em todo tempo. A cidade de Deus é a alegria de toda terra (Alcindo Almeida).

Comentários

Postagens mais visitadas