Pular para o conteúdo principal

Leituras em junho de 2014

CUNNINGHAM Ted. Jovem apaixonado - Desafiando o desnecessário adiamento do casamento. São Paulo: Vida, O pastor Ted Cunningham revela os segredos para criar um relacionamento de uma vida inteira, de sucesso e saudável no início da juventude. Ele explica como as discussões sobre casar-se cedo normalmente seguem o rumo errado. Em seguida, compartilha sabedoria sobre como saber se você está fazendo a escolha certa e o ajuda a entender o que é necessário para estar pronto para se casar. Ao longo do livro, mostra que, melhor do que dar um beijo de adeus ao namoro, a resposta para permanecer puro pode ser preparar-se para o casamento. Porque normalmente é mais fácil dizer “Vamos esperar” quando o “Sim” não está tão longe. Contém 244 páginas.

CAMPOS, Heber CarlosO habitat humano (Volume 3). São Paulo: Hagnos, 2013Com efeito, o habitat humano sofre com os efeitos da queda e, em virtude de sua condição, está destinado à destruição por meio do julgamento divino. No entanto, até que venha o grande Dia do Senhor, aos cristãos cabem deveres diante do atual habitat, nutrindo esperança e expectação acerca da gloriosa restauração final. É um livro de esperança, mesmo que apresente uma realidade de sofrimento e destruição, pois enfatiza o relacionamento profundo do homem com o seu Criador, levando-o às responsabilidades e obrigações ante o paraíso ausente que tanto ansiamos por ter presente. Contém 480 páginas.

COSTA, Samuel. Capelania Cristã - Assistência religiosa nas instituições civis e militares. Rio de Janeiro: Editora Silva Costa, 2013. Aproveitando a riqueza dos ensinamentos bíblicos, o autor reporta sobre a história da Assistência Religiosa que, para muitos na linguagem de hoje, tornou-se sinônimo de Capelania Cristã. A obra demonstra que, para ser um autêntico Capelão Cristão, um dos ensinamentos dados por Jesus de Nazaré, o Cristo, que precisa ser colocado em prática, é ser misericordioso como é Deus que está no céu. Contém 235 páginas.
PARANAGUÁ, Glenio Fonseca. O crime da letra. PR. Londrina: Editora Ide, 2009. A estrela é um astro que tem luz própria. Os planetas são astros que não emitem luz deles mesmos. Se eles iluminam é porque foram iluminados por uma estrela. Deus é luz e os homens só podem ser alumiados por Deus. Cristo é justo e os pecadores só podem ser justificados por Cristo. O Deus trino é o único ser justo com a sua justiça. Ele não precisa de coisa alguma e de ninguém, uma vez que só ele se basta a si mesmo. O ser humano foi criado reto, mas finito, e, ao pecar, se tornou ímpio. Ninguém pode se justificar diante de Deus com a sua justiça pervertida pelo orgulho do seu ego ímpio. A justiça humana é comparada na Bíblia a trapos de imundícia. Assim, não há nenhum justo que produza justiça aceitável que o justifique na presença de Deus. Contém 144 páginas.

KELLER, Timothy e Katherine Leary Alsdorf. Como integrar fé e trabalho. Nossa profissão a serviço do reino de Deus. São Paulo: Vida Nova, 2014. Como Deus nos chama a expressar sentido e propósito por meio de nosso trabalho e carreira profissional. Keller tem ensinado e aconselhado por mais de vinte anos estudantes, jovens profissionais e líderes experientes sobre o tema trabalho e chamado cristão. Agora ele disponibiliza suas ideias para leitores do mundo inteiro neste livro, que oferece perspectivas bíblicas sobre questões prementes como: 
Qual é o propósito do trabalho? 
• Como posso encontrar sentido e servir às pessoas em um ambiente de trabalho impiedoso e voltado para resultado? 
• Como usar minhas habilidades em uma vocação que tenha sentido e propósito? 
• Posso manter-me fiel a meus valores e ainda assim crescer profissionalmente? 
• Como fazer as difíceis escolhas que devem ser feitas ao longo de uma carreira de sucesso?Contém 240 páginas.


PAES, Carlito. O grande doador. Porque a vida é maior que a nossa insatisfação. São Paulo: Inspire, 2013Nessas páginas, você poderá refletir um pouco mais sobre as virtudes do Grande e apaixonado Deus. À medida que você conhecer mais do coração desse Deus que já lhe deu tanto – na verdade, tudo – certamente você sentirá a necessidade de ser mais parecido com Ele, o Grande Doador! Contém 224 páginas.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Estudo 26: A mulher sunamita: generosa e hospitaleira - (II Reis 4.8-37)

Há um cântico que nos ensina muito é o Salmo 37.4-5, a letra diz:
“Agrada-te do Senhor e ele fará aquilo que deseja o teu coração. Entrega o teu caminho ao Senhor, e o mais ele fará. Descansa no Senhor e espera nele. Pois, ele é a tua salvação, ele é o teu castelo e o teu refúgio na tribulação. Confia no Senhor e ele agirá, confia no Senhor e ele agirá“ [1].  É exatamente sobre essa providência de Deus na vida do seu povo que quero falar, usando esse exemplo da mulher sunamita. Esta que foi agraciada por Deus pela instrumentalidade do profeta Eliseu. Sabemos que o significado do nome de Eliseu é: Jeová é salvação. A meu ver combina com sua missão como profeta desse período. Ele foi um dos maiores profetas desse período juntamente com o seu antecessor, o profeta Elias. Ambos foram profetas no Reino do Norte de Israel. Eliseu era filho de Safate, habitava em Abel- Meolá do Vale do Jordão e pertencia a uma família próspera. Quando Elias estava no monte Horebe desanimado e triste, Deus fa…

Emoção X Razão: Mulheres agem de forma emocional, homens se comportam racionalmente

Recentemente li o livro Homens são de Marte, mulheres são de Vênus de John Gray. Ele diz que quando se aborrecem, os homens querem silêncio e solidão. Já entre as mulheres, as preocupações resultam na matraca desenfreada, pois, falando acalmam-se. O ego masculino é movido à base de conquistas, o feminino é pura emoção. Ele deve escutá-la, e ela deve compreender seu silêncio. Conclusão: marido e mulher não falam a mesma língua, não são do mesmo planeta. Na maioria dos processos normais, a mulher age de forma emocional, enquanto o homem se comporta de forma racional. Na nossa cultura costumamos dizer que os homens são insensíveis, durões e bem insensíveis. E com respeito às mulheres que elas são pura emoção e coração. John Gray diz que “quando os homens e mulheres são capazes de respeitar e aceitar suas diferenças, então o amor tem uma grande chance de desaborchar” (GRAY, John. Homens são de Marte, mulheres são de Vênus. São Paulo: Editora Rocco, 1997, p. 24). O grande problema é que convi…

Histórias da vida

A mentalidade dogmática deseja prender a verdade na malha das suas palavras, entendo que ela se equivoca. Acredito que nós aprendemos, falamos e escrevemos interpretando cada ponto da nossa história de vida. Na interpretação passam verdades, mas nunca absolutas, nossa história tem várias facetas.  Temos um quadro da nossa história e ela vai acontecendo com várias interpretações e olhares dentro de nós mesmos. Gosto demais de relembrar a história da minha vida. Lembro-me sempre dos momentos bons e ruins dela. Eu tive momentos de profunda tristeza, mas neles, vi o mover de Deus me ensinando a passar pelos vales dela, com a percepção da graça divina em mim sempre. Vi amigos chegados morrendo, vi amigos conquistando e perdendo. Vi histórias de vidas sendo tocadas por Jesus Cristo de Nazaré. Como é bom poder enxergar o passado com graça e com a noção no íntimo de que Deus esteve presente em cada detalhe.  As histórias serão sempre histórias contadas por nós dentro da alma e do coração. Cada …