Palestra 6 - Pr. Ricardo Agreste

O problema da idolatria
(Hotel Paladium – Serra Negra – 09.04.2013)
 
Timothy Keller diz: O pecado que constantemente busca sabotar coração para que o Evangelho não seja compreendido é o pecado da idolatria.Pecado é colocar nossa confiança, em outra coisa que não no amor de Deus. É o pecado que faz a gente não depender de Deus. A idolatria é o pecado que faz com que nós coloquemos nossa força no dinheiro, no sexo e no poder. Um ídolo é qualquer coisa mais fundamental do que Deus para sua felicidade, sentido na vida ou identidade.
A única coisa que pode dar sentido a nossa existência é saber que Deus nos ama e quer se relacionar conosco. Só o Evangelho pode resgatar a nossa identidade em Deus. O que Jesus fez na cruz do Calvário pode nos trazer para o verdadeiro significado como ser humano.
Um ídolo pode ser:
 
• Sua carreira profissional;
• Sua segurança financeira;
• Sua aparência física;
• Sua reputação ou imagem;
• Seu poder político;
• Sua família.
 
Êxodo 20.2-5a afirma: Eu sou o SENHOR, o teu Deus, que te tirou do Egito, da terra da escravidão. Não terás outros deuses além de mim. Não farás para ti nenhum ídolo, nenhuma imagem de qualquer coisa no céu, na terra, ou nas águas debaixo da terra. Não te prostrarás diante deles nem lhes prestarás culto, porque eu, o SENHOR, o teu Deus, sou Deus zeloso, que castigo os filhos pelos pecados de seus pais até a terceira e quarta geração daqueles que me desprezam. Êxodo 20 é uma sombra do que aconteceria com a vinda do mestre Jesus.
Agostinho diz que pecado não é uma atitude ou comportamento. O pecado é o amor em desordem (o amor fora da ordem apropriada).
 Tim Keller faz uma pergunta: Qual o elemento em sua vida que, caso você viesse perder, possivelmente perderia também a própria vontade de vier ou a razão de existir?Mulher, filho, ministério, fama e poder.
Deus constantemente alertou seu povo para que não se curvasse diante de outros deuses. A única adoração que não nos torna reféns, mas livres, plenos é a adoração ao Deus Criador dos céus e da terra. Quando nos curvamos diante de outros ídolos eles tem o poder de drenar nossa energia, eles nos escravizam, vão deturpando nosso jeito natural de ser. Os ídolos matam. Porque por detrás deles existem principados e potestades. O desejo do nosso inimigo é que sejamos sugados, deteriorados pelo ídolo até que nos leve a morte.
Rebbeca Pippert diz: Seja o que for, o que nos controla é o nosso Senhor. A pessoa que busca o poder é controlada pelo poder. A pessoa que busca aceitação é controlada pelas pessoas que ele ou ela quer agradar. Nós não controlamos a nós mesmos. Nós somos controlados pelo Senhor da nossa vida. Nosso Senhor nos conquista por amor e não pelo poder. Ele nos conquista pelo Seu amor naquela cruz do Calvário.
David Foster Wallace disse: Pois aqui está outra coisa que é verdadeira. Nas “trincheiras” do dia a dia da vida adulta, não existe tal coisa como o ateísmo. Não existe tal coisa como a não adoração. Todo mundo adora algo. A única alternativa que temos é o que vamos adorar.Uma verdade: adore o seu próprio corpo e beleza, se curve ao poder de sedução e você sempre se sentirá feio e quando o tempo e a idade começam a aparecer, você experimentará a morte milhares de vezes, antes que você seja enterrado em termos de corpo. Adore o poder e você se sentirá fraco e temeroso e precisará de mais sobre os outros para manter o medo à distância
Esse é o depoimento de um ateu assumido:
 

• Ele reconhece a impossibilidade de um ser humano viver sem adorar.
• A única opção que temos é o que vamos adorar.
• Sua assustadora percepção: os ídolos comem vivos seus adoradores.
• Último texto em 12/09/2008 – David Foster Wallace cometeu suicídio.
 
__________
Anotações por Alcindo e Eleazar.

Comentários

Postagens mais visitadas