Palestra da Senadora Marina Silva


“A questão da fé e sustentabilidade”

A questão da sustentabilidade tem a ver com o momento de crise que vivemos no mundo. O nosso país chegou a crescer 7% e hoje cresceu zero por causa da crise econômica séria. Temos uma crise no campo social em que muitas pessoas vivem com apenas dois dólares. Há 14 milhões de analfabetos ainda.
Temos a crise ambiental onde perdemos muito mais do que há 50 anos. Perdemos na biodiversidade. Perdemos 50% do produto interno por causa dos bens naturais. Temos milhões de hectares que estão completamente perdidas, a degradação do solo e derretimento das geleiras. E também temos a questão do aquecimento global. Um aumento de 2 graus pode afetar a criação com desequilíbrio. Esse é o grave problema das mudanças climáticas.
Temos também uma crise crítica na política e nos valores. Por quê?
A falta de valores influência a economia. A falta de valores sacrifica os bens culturais. As riquezas faz o homem perder os valores. As mudanças feitas na questão da preservação passam pelos valores. O desmatamento da Amazônia diminuiu no ministério da Marina e agora voltou tudo. E isso acontece por causa da falta da ética de valores.
A crise dos valores faz a separação na política pela política. Uma sociedade é feita pelo seu povo pela sua gente. A crise na política é a falta de seguir os valores honestos na sociedade. A crise é poder pelo poder.
A crise dos valores está na base de tudo.
Eclesiastes 4.6 nos convida a viver com o necessário e tranquilamente. Algo precisa de socorro. Precisamos de novas respostas para essa crise.
Marina não é pessimista e nem otimista, mas persistente na visão dos valores. É a luta pelos valores com esforço e ânimo.
Precisamos da persistência na vida, desejando que a economia seja prospera e nossa sociedade seja justa. Cada um de nós fazendo a parte. Para essa crise a proposta é o modelo sustentável. As nações unidas estabelecem 4 dimensões para o modelo ser sustentável.

Social: a dinâmica da vida. Abrir a boca em favor dos necessitados. Olhamos para os famintos e cuidar deles. Tornar a vida plena e abundante.

Cultural: somar através da cultura para o crescimento do ser humano.

Ambiental: usar com sabedoria os recursos naturais sem comprometer o cuidado com aqueles que ainda nascerão.

Econômico: vantagens competitivas em comparativas. Um país sustentável é o que olha com carinho para todos os recursos da economia visando o ser humano.

A sustentabilidade não é uma maneira de fazer e sim de ser. Uma mão cheia com descanso é uma sustentabilidade que visa o ser humano e respeita as leis da natureza. As duas cheias tem a ver com o orgulho, com o glamour.

Sustentabilidade estética: Gn. 3.9 – Deus se preocupa com a estética. Há um valor na criação. Uma montanha deve ser protegida por causa da estética em prol do ser humano. O nosso Deus quer que preservemos o belo. Há o patrimônio histórico no nosso país para que seja preservado. Deus é paradoxal quando diz que é para cuidar e lavrar. O homem é para dominar com amor e o referencial é o próprio amor eterno.

Sustentabilidade política: Uma mão cheia com descanso é estar em concordância com o modelo bíblico da vida. Sem sustentabilidade política não há possibilidade de caminhar em prol da sociedade. Dt. 17.17-20. Deus ensina para todos como deve ser o rei. O rei deve fazer o que é bom para o próprio povo. Aqueles que nos representam, representam aquilo que somos como sociedade. Aquilo que fazemos é o reflexo do que somos em nossa sociedade.

Sustentabilidade ética: temos que nos envolver com a sociedade através dos valores éticos das Escrituras dentro de nós.

Deus nos ensina a acreditar criando (Donald Woods Winnicott). Podemos cuidar melhor dos nossos filhos, da natureza criada pelo Eterno. Reunimos condições para sair do regime predatório e vir para o da sustentabilidade. Não se trata de questionar o modo de fazer, mas sim o de ser. É o jeito inadequado de fazer que destrói o nosso jeito de ser.
Não há limites para amar, para falar a verdade, para construir para a vida. Para sonhar, para somar na vida que Deus nos deu.

Comentários

Adriano Silva disse…
Gosto muito da ex-senadora Marina Silva. Tenho a biografia dela, e através da leitura do seu livro pude perceber o quanto ela, desde menina, se dedica a princípios e valores bíblicos.
Temos recursos naturais em abundância, porém poucos cristãos enxergam que somos mordomos da criação de Deus, onde devemos cuidar e não destruir.

Pr. Alcindo, quando você ficar sabendo de outras palestras estes assuntos, favor me avisar, pois tenho muito interesse em poder participar.

Abraços.
Adriano Barbosa Silva

Postagens mais visitadas