Onde está seu tesouro?

E Jesus, fitando-o, o amou e disse: Falte-te uma coisa, vai e vende tudo o que tens, dá-o aos pobres e terás um tesouro no céu, e vem e segue-me (Marcos 10.21).

Não podemos negar que dinheiro é uma coisa muito boa. Com o dinheiro você faz o que quiser. Quem tem dinheiro pode visitar o mundo, pode conhecer o encanto que é o paraíso de Fernando de Noronha. Você pode ter todas as delícias que a vida dá. Com o prazer do dinheiro, o homem pode conquistar muitas coisas, ele pode ter um BMW, pode ter “Jet Ski”, pode ter uma bela de uma Casa em Ubatuba ou São Sebastião, ou até em Florianópolis. Pode viajar a Europa inteira e conhecer as Ilhas Gregas e tomar um chá em Londres.
Vejam que o dinheiro causou no coração deste jovem chamado de rico. Vejam, onde não devemos depositar o nosso coração. Onde encontramos a maior riqueza do coração de um ser humano. Vejam que nós não dependemos em última estância dele para sermos realizados e felizes. As indagações desse mancebo são fortes e muito profundas. Ele demonstra sua espiritualidade quando se ajoelha diante de Jesus, depois ele mostra a profundidade das suas indagações quando faz a seguinte pergunta: Mestre o que farei para herdar a vida eterna?
Jesus mostrou àquele rapaz que ser moralista, guardador da lei não era suficiente. Ele mostrou para aquele jovem, que ele conhecia ao Senhor Jesus de maneira superficial, não como o Filho do Deus Altíssimo. O jovem pesaroso da palavra dita pelo Senhor Jesus saiu triste, porque possuía muitas riquezas. A tristeza daquele jovem foi por causa do seu coração porque seu tesouro estava não nos mandamentos de Deus e, sim, nas suas riquezas. Nesta situação aprendemos que:

1. Vida eterna não consiste na religiosidade, mas na experiência com Jesus:

Vejam que este jovem preocupa-se com a moralidade e não com o Deus Filho. A preocupação era com os mandamentos. Esse jovem queria uma religião muito fácil, uma religião do mínimo. Ele disse: O que eu tenho que fazer? Ah! Só dar uma oferta para a casa de Deus, acabou, cumpri a lei, eu cumpri os mandamentos.
Vejam como o jovem foi soberbo na sua afirmação e superficial, porque ele guardava aquilo que era fácil. Ele tinha uma religião demasiadamente superficial. Porque vemos à frente, que quando ele de fato é desafiado, ele recua, porque ele tinha só superficialidade na sua vida.
Ser discípulo de Jesus significa ter um relacionamento profundo com ele. E você já parou para refletir que os gregos tinham compreensão das verdades intelectuais acerca do ensinamento de Jesus. O importante para eles eram as frases, os pensamentos de Jesus. Os romanos se preocupavam com o fazer parte da instituição. Se você é católico, então, você pode se considerar uma pessoa que tem relacionamento com Jesus. Hoje ter relacionamento com Jesus é o simples fato de irmos à igreja no domingo. Quem participa ativamente de uma celebração, todo mundo diz: esse tem um ótimo relacionamento com Deus.
Nós precisamos aprender que a nossa participação numa celebração é muito importante. O fato de fazer parte de uma comunidade é importante, mas, não é base para afirmarmos que temos um bom relacionamento com Deus. Pois, cristianismo não é culto dominical, cristianismo não é ser pastor, padre e participante de um grupo na comunidade, cristianismo acima de tudo, é amar a Deus, é conhecer a Cristo e se relacionar com ele por graça e amor. Como o próprio escritor do Novo Testamento João diz citando Jesus: E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti só, por único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste (João 17.3).
Somente conhecemos ao Senhor por meio da sua Palavra. Queremos andar com Jesus? Conheçamos o livro santo (a Bíblia Sagrada), que é base para a vida e a alegria para o coração. Jesus oferece uma caminhada de relacionamento com ele para aqueles que se arrependem e entregam a vida a ele e essa graça só acontece quando ele toca na vida e perdoa o nosso pecado, a nossa miséria e rebelião contra ele.
Nós que fomos encharcados pela graça de Deus, por este presente tão precioso, que é ter o Senhor Jesus como único e suficiente Salvador, e não as riquezas terrenas, agradeçamos ao Eterno Deus.
Que a graça do Senhor seja sobre nós!
___________ 
Pr. Alcindo Almeida – membro da equipe pastoral da IP Alpha.

Comentários

Postagens mais visitadas