Leituras no mês de junho de 2012

METAXAS, Eric. Bonhoeffer. São Paulo: Mundo Cristão, 2011. As tropas nazistas avançavam pela Europa, ameaçando estender seus domínios sobre todas as nações. Numa época em que se calar era a melhor forma de se expressar e se omitir era a mais acertada ação, um pastor, com reconhecido talento e prodigiosa capacidade intelectual, viveu seu chamado como forma de servir a seu país. Em 1939, vivendo nos EUA, a salvo do regime nazista, sua paixão por seu povo o levou de volta à Alemanha. Sua capacidade política e carisma o tornaram uma ameaça a Hitler e lhe custaram o exílio em Berlim. Proibido de falar, escrever e publicar, Dietrich Bonhoeffer decide vestir a máscara de pastor patriota submisso ao Reich e passa a ser um agente duplo. Trabalhando na Abwehr, agência de inteligência do regime nazista e sabotando ordens e ações de guerra nazistas, ele salva milhares de vidas e impede os planos de Hitler, enquanto, junto a seus companheiros, trama a queda do Führer. Descoberto pela Gestapo, Bonhoeffer é preso e em 9 de abril de 1945 - semanas antes da queda do Terceiro Reich - termina sua luta para salvar conterrâneos e judeus da cólera ariana, sendo enforcado por ordem direta de Adolf Hitler. Contém 640 páginas.

Schaeffer, Francis A. O Deus que intervém. São Paulo: Cep, 2002. O abandono da verdade e as trágicas conseqüências para a nossa cultura - a única esperança na verdade histórica do Cristianismo. O Deus que intervém (no original, The God Who is there) forma com A morte da razão e O Deus que se revela a trilogia clássica de Schaeffer. Primeiro na trilogia, este livro mostra como o pensamento moderno abandonou a idéia de verdade, com trágicas conseqüências para todas as áreas da cultura “desde a filosofia, até a arte, música, teologia e na sociedade como um todo. A única esperança está em confrontar nossa cultura com a verdade histórica do Cristianismo” apresentada com paixão e sem concessões, e vivida de modo completo, em todas as áreas da vida individual e comunitária. Qual será, a longo prazo, a importância de Francis Schaeffer? Tenho certeza de que não estarei errado ao saudar Francis Schaeffer que enxergou bem mais do que a maioria de nós e agonizou sobre a sua percepção bem intensamente do que nós como um dos verdadeiros grandes cristãos de meu tempo (J. I. Packer). Contém 304 páginas.

SWINDOLL, Charles. A igreja desviada. São Paulo: Mundo Cristão, 2012. Considerando as leis da física e os sentidos humanos, quanto mais longe estamos de um objeto, mais dificuldades teremos em enxerga-lo com nitidez e clareza de detalhes. Quanto mais distantes ficamos de um rádio ligado, mais dificuldades teremos em ouvir e compreender o som que sai de seus alto-falantes. A mesma lógica é válida para o nosso relacionamento com Deus. Se estamos longe dele, não oramos, não lemos a Bíblia, não frequentamos alguma igreja, não vivemos em comunhão com outros cristãos, mais difícil será obter as respostas para nossas inquietudes e orientação para as decisões que devemos tomar. Mais míopes e surdos seremos para compreender seu plano, sua vontade para nós. Charles Swindoll, consagrado autor da série Heróis da Fé, apresenta para o debate os desafios que a igreja cristã enfrenta nos dias atuais, ameaçada que está pelo secularismo e humanismo desenfreados, que a afasta da verdade pura e simples do evangelho de Cristo. A igreja desviada é um alerta contundente e definitivo para todo aquele que ama o Senhor e reconhece a igreja de Cristo como sinal visível do Reino de Deus. Contém 303 páginas.

NOUWEN, Henri. Transforma meu pranto em dança. São Paulo: Thomas Nelson, 2007. Repleto de experiências vividas pelo autor e por aqueles que ele aconselhava, Transforma meu pranto em dança traz conforto e bem-estar em uma linguagem simples e acessível. Embora seja bastante prático em sua abordagem, Henri Nowen evita respostas prontas, simplistas ou simplórias. Para ele, a bondade é o caminho para um modelo de vida enraizado na esperança eterna. Henri Nouwen acredita que as provações que todos enfrentamos exigem mais do que palavras. Frases eloquentes seriam incapazes de amenizar nossas dores mais profundas. No entanto, existe algo que pode nos orientar e nos guiar através do sofrimento a própria presença de Deus em nossas vidas. E é dele que vem o convite para redescobrirmos a felicidade. Contém 112 páginas.

LOPES, Hernandes Dias. Quatro homens, um destino. São Paulo: Hagnos, 2007. Este livro apresenta a história de quatro homens que tiveram um destino traçado por Deus e que ainda hoje se constituem modelos para aqueles que querem andar com Deus. Abraão pai de todos aqueles que creem, obedeceu a Deus e andou pela fé. Isaque filho da promessa, homem manso a quem Deus fez prosperar. Jacó homem escolhido por Deus, sua agenda foi comandada pelo céu. José jovem piedoso e comprometido com Deus foi o maior líder de seu tempo. Leia este livro com o coração, pois o mesmo Deus que o fez triunfar é Aquele que pode nos tomar pela mão e nos guiar pelo caminho eterno. Contém 120 páginas.

Comentários

Postagens mais visitadas