Pular para o conteúdo principal

QUANDO AS PERDAS SE TORNAM EM TESOUROS


“Sim, chorem e se entristeçam até que o Espírito seja derramado sobre nós lá de cima, e o deserto de terras ressecadas produza colheitas” (Is 32:15)
 
- Não há ninguém de mente sadia que gostaria de se dar mal na vida.
- Você não vai ouvir alguém fazendo uma oração do tipo: “ó Senhor, ajuda-me para que as coisas dêem errado” – ninguém deseja isso!
- Ninguém vai casar-se querendo que dê errado. Ninguém gera filhos desejando que estes sejam infelizes. Ninguém faz uma opção ou escolha deliberadamente desejando o fracasso. Ninguém escolhe um trabalho para torná-lo numa frustração profissional.
- Acontece que, apenas desejar o bem, não garante que vamos alcançá-lo. Devemos desejar o bem, pensar positivamente a respeito dos ideais que desenvolvemos; porém somente isso não será suficiente.
- E não será suficiente porque há uma tensão permanente entre desejos, anseios e sonhos e a realidade que nos cerca.
- Em tempos em que “tudo dá certo” desenvolvemos uma falsa percepção de aparente segurança e tranqüilidade.
- O mundo que nos cerca e a realidade dos nossos dias nos remetem a uma constatação sobre a permanente instabilidade de nossas estruturas.
- A humanidade tem confiado em suas invenções e técnicas que, atualmente, constatamos não respondem às expectativas que sobre elas foram postas.
- Ainda assim, grande parte da humanidade insiste em confiar em si mesma, na força do seu próprio braço, na sua própria capacitação e formação, ou em um grupo de pessoas, empresas e instituições ou em alguma coisa criada pela própria humanidade que gere algum tipo de proteção.
- As próprias idéias, os próprios prazeres, a forma de vida individualizada e antropocêntrica tem levado muitos a frustração, ao desespero, ao desencontro entre os anseios e a realidade - E assim vive a humanidade!
- Embora vivamos sempre expostos a perdas eminentes, temos muita dificuldade em lidar com elas; em reagir a elas; em aprender com elas.
- Creio, no entanto, que elas nos colocam diante de oportunidades: quando nossas perdas se tornam em tesouros!
- E, sabe como isso acontece?


QUANDO DESCOBRIMOS OS PERIGOS DA AUTO-CONFIANÇA
 
- Muitos vivem sempre pré-ocupados; e isso é ruim, pois ocupa-nos antes mesmo da realidade, do necessário.
- Outros vivem eternamente dês-pre-ocupados, o que também é ruim, porque “baixa a guarda”, ou “dês-sintoniza” a vida da realidade inerente a todos nós.
- A tranqüilidade e a despreocupação pode nos fazer mal, pois pode colocar-nos numa atitude de auto-confiança, de quem não depende de Deus.
- É nos julgarmos capazes de “sermos” e darmos conta das demandas e necessidades de nossas vidas sozinho.
- Não devemos e não podemos esquecer de que quem criou palácios fomos nós; quem criou padrões e valores financeiros que nos medem fomos nós; quem criou critérios de “status” fomos nós.
- Quando temos, vivemos despreocupados. Quando não temos, desesperados.
- “Como é difícil pensar em Deus quando tudo está indo bem. “Temos tudo o que queremos” é uma frase terrível quando “tudo” não O inclui. Nós o consideramos uma interrupção”. C.S.Lewis em “O Problema do Sofrimento”, Ed Vida, pág 109.
- A questão é que o compromisso (promessa) de Deus é realizar o bem na vida, e não na vida os bens.
 
QUANDO COMPREENDEMOS QUE PERDER PODE SIGNIFICAR GANHAR
 
- Sim, será assim que poderemos adquirir a consciência de nós mesmos.
- O mal não é aquilo que me faz ter menos, comer menos, possuir menos, necessariamente.
- O mal é ser menos do que aquilo para o qual Ele nos criou; é ter menos consciência de nossa realidade e de Sua presença em nós; é desejar menos Deus, anestesiando o nosso ser (até mesmo pela religião).
- Muitas vezes será só depois das perdas que de fato encontraremos os verdadeiros tesouros. E mesmo assim, tem muita gente que se perde diante das suas perdas.
- É em meio às perdas que reencontramos e restabelecemos os valores reais, reeditamos prioridades, re-estilizamos objetivos e, muitas vezes, reescrevemos nossa própria história.
 
QUANDO SE GANHA A RIQUEZA DO DERRAMAR DO ESPÍRITO SOBRE A NOSSA VIDA
 
- Quando isso acontece, descobrimos o verdadeiro valor da vida, que não diz respeito ao que é material, ao que possuímos, ao que nos oferece estabilidade.
- Por isso, aparentes perdas podem transformar-se em grandes ganhos.
- Muitas vezes o caos pode preceder a vida – a construção de um outro mundo dentro de nós.
- Tive a oportunidade de conhecer o lugar e a visão que tem os pássaros que moram atrás das quedas d’água em Foz do Iguaçu. Descobri que há vida além da tormenta.
 
Concluindo,
- Que Deus nos dê um coração que não busque sua autoconfiança, mas uma total dependência dEle.
- Não desenvolva uma autoconfiança da pior forma possível – sem Deus.
- Que Deus nos ajude a compreender e descobrir os valores que estão além das perdas.
- A vida já é difícil; não a tornemos mais difícil ainda – ESCOLHA O MELHOR!
“Viva pela Graça”.



Que Deus o abençoe rica e abundantemente,
Rev. Hilder C Stutz
Em Cristo,

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Estudo 26: A mulher sunamita: generosa e hospitaleira - (II Reis 4.8-37)

Há um cântico que nos ensina muito é o Salmo 37.4-5, a letra diz:
“Agrada-te do Senhor e ele fará aquilo que deseja o teu coração. Entrega o teu caminho ao Senhor, e o mais ele fará. Descansa no Senhor e espera nele. Pois, ele é a tua salvação, ele é o teu castelo e o teu refúgio na tribulação. Confia no Senhor e ele agirá, confia no Senhor e ele agirá“ [1].  É exatamente sobre essa providência de Deus na vida do seu povo que quero falar, usando esse exemplo da mulher sunamita. Esta que foi agraciada por Deus pela instrumentalidade do profeta Eliseu. Sabemos que o significado do nome de Eliseu é: Jeová é salvação. A meu ver combina com sua missão como profeta desse período. Ele foi um dos maiores profetas desse período juntamente com o seu antecessor, o profeta Elias. Ambos foram profetas no Reino do Norte de Israel. Eliseu era filho de Safate, habitava em Abel- Meolá do Vale do Jordão e pertencia a uma família próspera. Quando Elias estava no monte Horebe desanimado e triste, Deus fa…

Emoção X Razão: Mulheres agem de forma emocional, homens se comportam racionalmente

Recentemente li o livro Homens são de Marte, mulheres são de Vênus de John Gray. Ele diz que quando se aborrecem, os homens querem silêncio e solidão. Já entre as mulheres, as preocupações resultam na matraca desenfreada, pois, falando acalmam-se. O ego masculino é movido à base de conquistas, o feminino é pura emoção. Ele deve escutá-la, e ela deve compreender seu silêncio. Conclusão: marido e mulher não falam a mesma língua, não são do mesmo planeta. Na maioria dos processos normais, a mulher age de forma emocional, enquanto o homem se comporta de forma racional. Na nossa cultura costumamos dizer que os homens são insensíveis, durões e bem insensíveis. E com respeito às mulheres que elas são pura emoção e coração. John Gray diz que “quando os homens e mulheres são capazes de respeitar e aceitar suas diferenças, então o amor tem uma grande chance de desaborchar” (GRAY, John. Homens são de Marte, mulheres são de Vênus. São Paulo: Editora Rocco, 1997, p. 24). O grande problema é que convi…

Histórias da vida

A mentalidade dogmática deseja prender a verdade na malha das suas palavras, entendo que ela se equivoca. Acredito que nós aprendemos, falamos e escrevemos interpretando cada ponto da nossa história de vida. Na interpretação passam verdades, mas nunca absolutas, nossa história tem várias facetas.  Temos um quadro da nossa história e ela vai acontecendo com várias interpretações e olhares dentro de nós mesmos. Gosto demais de relembrar a história da minha vida. Lembro-me sempre dos momentos bons e ruins dela. Eu tive momentos de profunda tristeza, mas neles, vi o mover de Deus me ensinando a passar pelos vales dela, com a percepção da graça divina em mim sempre. Vi amigos chegados morrendo, vi amigos conquistando e perdendo. Vi histórias de vidas sendo tocadas por Jesus Cristo de Nazaré. Como é bom poder enxergar o passado com graça e com a noção no íntimo de que Deus esteve presente em cada detalhe.  As histórias serão sempre histórias contadas por nós dentro da alma e do coração. Cada …