Caminhando juntos

Melhor é serem dois do que um, porque maior é a recompensa do trabalho de duas pessoas. (Ec 4.9).

Ao contrário do que podemos crer, muitas vezes motivados por um bom momento profissional, uma carreira em alta, um sucesso momentâneo, um êxito, etc., não há homens ou mulheres que tenham se feito sozinhos.
Todos precisamos de amizades, de encorajamento e de ajuda. A verdade é que a vida é suficientemente dura para que a enfrentemos sozinhos. Suas dificuldades são suficientes para nos confundir, desanimar, abater nosso espírito. Mas, como estabelecê-los?
Como cultivá-los sem se machucar, sem se decepcionar, e torná-los algo saudável, que seja edificante para nós e para o outro, que seja desafiador e motivador na construção dos nossos relacionamentos?
A fé é elemento essencial para o estabelecimento e a manutenção de todos os relacionamentos positivos, embora seja um bem escasso em nossos dias. Digo sobre fé como ato mais que fé no contexto cristão. É fé em si; é confiança de outros em você; é identificação dessa confiança e correspondência a essa confiança.
Sempre gostei de buscar sabedoria não como um acúmulo de conhecimentos, mas como um agente de transformação e construção da minha pessoalidade e na frutificação de meus relacionamentos, além de um agente catalisador e potencializador do que possa significar viver nesse mundo que nos parece, em muitos momentos, não possuir um sentido último ou mesmo compreensível diante de nossas mazelas humanas.
Nessa busca, não há como esquecer-se do livro sagrado de Eclesiastes (ou do pregador). O trecho que menciono em nossa reflexão de hoje nos lembra algumas razões porque devemos estabelecer relacionamentos interpessoais, quer no contexto das organizações, quer no contexto profissional, e também no contexto social.
Dele poderia sugerir algumas observações:

1) PODEMOS FAZER E SER MELHOR JUNTOS

Dois poetas (Beto Guedes e Ronaldo Bastos) em “O Sal da Terra” cantaram: “Um mais um é sempre mais que dois”. Isso nos remete aos relacionamentos que estabelecemos. Um homem e uma mulher, pais e filhos, amigos.
Juntos seremos capazes de vencer a solidão, quebrar barreiras e obstáculos, crescer e produzir crescimento, construir sonhos e ter a alegria de partilhá-los.
“Há um grande marco em seu desenvolvimento quando você percebe que outras pessoas podem ajudá-lo a fazer uma tarefa melhor do que se fizesse sozinho” (Andrew Carnegie, filantropo, citado por John Maxwell em “Segredos da Capacitação”, Ed Mundo Cristão, pág 17).
“Quem caminha sozinho pode até chegar mais rápido, mas aquele que vai acompanhado com certeza chegará mais longe...”
 
2) JUNTOS TEREMOS POSSIBILIDADE DE AJUDA MUTUA

Todos passamos por tempos difíceis em nossa vida. Todos podemos falhar – isso também faz parte da vida. E será nesses momentos e épocas difíceis que juntos poderemos ser melhores. Muitas vezes, diante das circunstancias, duas escolhas se colocarão diante de nós: render-se ou seguir adiante. Se estivermos juntos, o companheirismo nos proverá conforto em meio a esse mundo tão duro.
“A despeito do que diz a propaganda, as necessidades básicas do homem são poucas e não é muito difícil satisfazê-las. Ele pode sobreviver com uma pequena porção de pão e no mais insignificante abrigo. Sua real necessidade, sua mais terrível necessidade, é de alguém que o ouça, não como um paciente, mas como uma alma humana.” (Taylor Caldwell, citada por Cecil Osborne em A Arte de Compreender-se a si mesmo).

3) SOMOS MENOS VULNERÁVEIS JUNTOS

Ninguém gosta de sentir-se vulnerável. No entanto, quando isso acontece aliado à solidão, sempre será infinitamente mais difícil de ser encarado e superado. Quando você observa um navio ancorado num porto e seguro por uma corda em seu atracamento, você compreende o que capaz de produzir uma simples linha que se torna num cordão que, multiplicado, é capaz de produzir tamanha força. Sozinhos seremos sempre mais vulneráveis.
Não se iluda, mesmo que tenha chegado ao topo. Desenvolva bons relacionamentos e busque amizades saudáveis que possam acrescentar à sua vida. O grande filósofo Aristóteles dizia que "Amigos verdadeiros são um refúgio seguro". E é verdade que “Na prosperidade, nossos amigos nos conhecem; na adversidade, nós é que conhecemos os nossos amigos.” John Heywood
 
Concluindo

Obviamente, os problemas de relacionamentos, de liderança, são sempre complexos. Liderar ou ser liderado inclui encorajamento, entrelaçamento de idéias, compromissos e valores. Nesses princípios, um segredo da Palavra de Deus para a vida.
“Melhor é serem dois do que um, porque maior é a recompensa do trabalho de duas pessoas”. (Ec 4:9)
Que Deus o abençoe rica e abundantemente. Em Cristo,

____________
Rev. Hilder C Stutz

Comentários

Postagens mais visitadas