Pular para o conteúdo principal

Leituras de novembro 2010

LUCADO, Max. Faça a vida valer a pena. Rio de Janeiro: Thomas Nelson Brasil, 2010. Max Lucado nos leva pelos caminhos da solidariedade e do amor ao próximo, eternizados nas mensagens de Jesus. De forma emocionante, o autor comemora com este livro 25 anos de carreira literária, fazendo sua pequena parte em prol da grande obra de Deus. Contém 248 páginas.

BONHOEFFER, Dietrich. Discipulado. São Leopoldo: Sinodal, 2008. No discipulado, o ser humano sai de sob o jugo de suas próprias leis e submete-se ao jugo suave de Jesus Cristo. Quem segue indiviso ao mandamento de Jesus, quem se sujeita sem resistência ao jugo de Jesus, a este se lhe torna leve o fardo que tem de levar, recebendo, na suave pressão desse jugo, a força necessária para percorrer o caminho certo sem cansaço. O mandamento de Jesus é duro, desumanamente duro para aquele que se lhe opõe. O mandamento de Jesus é suave e fácil para aquele que voluntariamente se lhe sujeita. Contém 208 páginas.

LUCADO, Max. Quando os anjos silenciaram. São Paulo: United Press, 1999. Aquela semana nos abriu a porta da eternidade. A semana final. A mais esperada, até então. Muitos estavam confusos, outros com medo. Todos no céu assistindo atentos. Os anjos não estavam preparados para cantar. O Deus-homem enfrentando seus últimos dias na Terra. A humilhação seria grande. Muitos pensaram ser a derrota final e o fim de um projeto. Todos dependiam dele e Ele caminhava firme para seu principal objetivo - a morte. Ele morreria a nossa morte para que vivêssemos a sua vida. Max Lucado, com muita sensibilidade, vai
ajudá-lo a entender o que Jesus estava sentido naqueles momentos e relembrá-lo do que realmente importa na vida caminhe com ele nos últimos dias de Cristo na terra e você vai perceber como aquela semana foi especial! Contém 270 páginas.
 
PARANAGUÁ, Glenio Fonseca. Do tronco ao trono. Londrina: Ide, 2010. Uma existência escravizada por ressentimentos é uma biografia em prisão perpétua. Quase nada pode ser mais cruel como as grades invisíveis do ódio consumindo as entranhas da alma, silenciosamente. Não conheço uma pessoa bem-aventurada alimentando-se de amargura no seu íntimo. Não há alternativa. Ou você perdoa o ofensor que o lanhou, ou você se transformará num ofendido sem esperança, escravo do pior dos senhores, o seu próprio ódio. O escravo das mágoas vive no Tronco sendo chicoteado pelos verdugos dos seus sentimentos. Mas aquele que perdoa os seus algozes assenta-se no Trono como um príncipe, filho de Aba. Do Tronco ao Trono é uma obra que revela a grandeza da cruz de Cristo, promovendo a libertação nos corações dos filhos de Deus. Você é convidado a participar desta peregrinação da nobreza celestial a caminho da Nova Jerusalém. Contém 80 páginas.

PETERSON, Eugene. A vocação espiritual do pastor. São Paulo: Mundo Cristão, 2006. Este livro é tão precioso que é a 3ª vez que leio. Ele é simplesmente extraordinário quando Eugene trabalha a idéia pastoral usando a vida de Jonas e sua missão. Ele queria ir para Tarsis – lugar do conforto e das riquezas. Mas, Deus queria enviá-lo para Nínive – lugar de dores e problemas. A missão dele era lá e teria de aprender a descansar em Deus e ter o coração pastoral dirigido pelo soberano Deus. O livro é profundo e nos ensina a refletir sobre a verdadeira espiritualidade no ministério pastoral. Contém 176 páginas.

Jacques. Anarquia e cristianismo. São Paulo: Garimpo Editorial, 2010. Em Anarquia e cristianismo — pela primeira vez, publicado por uma editora brasileira, a partir do texto original em francês —, Ellul se propõe a corrigir o que entende como uma série de mal-entendidos em relação à fé cristã. Para isso, ele desconstrói conceitos, questiona estruturas, desafia convenções, enfim, vira do avesso todos os lugares-comuns sobre o tema. A publicação deste livro, de teor fortemente iconoclasta, contempla a necessária redescoberta de um dos pensadores mais profícuos dos últimos. Contém 128 páginas.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Estudo 26: A mulher sunamita: generosa e hospitaleira - (II Reis 4.8-37)

Há um cântico que nos ensina muito é o Salmo 37.4-5, a letra diz:
“Agrada-te do Senhor e ele fará aquilo que deseja o teu coração. Entrega o teu caminho ao Senhor, e o mais ele fará. Descansa no Senhor e espera nele. Pois, ele é a tua salvação, ele é o teu castelo e o teu refúgio na tribulação. Confia no Senhor e ele agirá, confia no Senhor e ele agirá“ [1].  É exatamente sobre essa providência de Deus na vida do seu povo que quero falar, usando esse exemplo da mulher sunamita. Esta que foi agraciada por Deus pela instrumentalidade do profeta Eliseu. Sabemos que o significado do nome de Eliseu é: Jeová é salvação. A meu ver combina com sua missão como profeta desse período. Ele foi um dos maiores profetas desse período juntamente com o seu antecessor, o profeta Elias. Ambos foram profetas no Reino do Norte de Israel. Eliseu era filho de Safate, habitava em Abel- Meolá do Vale do Jordão e pertencia a uma família próspera. Quando Elias estava no monte Horebe desanimado e triste, Deus fa…

Emoção X Razão: Mulheres agem de forma emocional, homens se comportam racionalmente

Recentemente li o livro Homens são de Marte, mulheres são de Vênus de John Gray. Ele diz que quando se aborrecem, os homens querem silêncio e solidão. Já entre as mulheres, as preocupações resultam na matraca desenfreada, pois, falando acalmam-se. O ego masculino é movido à base de conquistas, o feminino é pura emoção. Ele deve escutá-la, e ela deve compreender seu silêncio. Conclusão: marido e mulher não falam a mesma língua, não são do mesmo planeta. Na maioria dos processos normais, a mulher age de forma emocional, enquanto o homem se comporta de forma racional. Na nossa cultura costumamos dizer que os homens são insensíveis, durões e bem insensíveis. E com respeito às mulheres que elas são pura emoção e coração. John Gray diz que “quando os homens e mulheres são capazes de respeitar e aceitar suas diferenças, então o amor tem uma grande chance de desaborchar” (GRAY, John. Homens são de Marte, mulheres são de Vênus. São Paulo: Editora Rocco, 1997, p. 24). O grande problema é que convi…

Histórias da vida

A mentalidade dogmática deseja prender a verdade na malha das suas palavras, entendo que ela se equivoca. Acredito que nós aprendemos, falamos e escrevemos interpretando cada ponto da nossa história de vida. Na interpretação passam verdades, mas nunca absolutas, nossa história tem várias facetas.  Temos um quadro da nossa história e ela vai acontecendo com várias interpretações e olhares dentro de nós mesmos. Gosto demais de relembrar a história da minha vida. Lembro-me sempre dos momentos bons e ruins dela. Eu tive momentos de profunda tristeza, mas neles, vi o mover de Deus me ensinando a passar pelos vales dela, com a percepção da graça divina em mim sempre. Vi amigos chegados morrendo, vi amigos conquistando e perdendo. Vi histórias de vidas sendo tocadas por Jesus Cristo de Nazaré. Como é bom poder enxergar o passado com graça e com a noção no íntimo de que Deus esteve presente em cada detalhe.  As histórias serão sempre histórias contadas por nós dentro da alma e do coração. Cada …