A Cruz e o Ministério Cristão – D. A. Carson

Um dos temas mais discutidos atualmente no ministério cristão é questão da liderança. Centenas de títulos têm sido escritos sobre este assunto em todo o mundo evangélico. É fato consumado que o crescimento das igrejas evangélicas aliado ao apelo do enfoque gerencial e gestorial tem produzido uma efervescência sem precedentes sobre o assunto. Com toda a certeza, a palavra liderança está na ordem do dia.
Apesar do grande interesse no assunto, poucos estudos bíblicos fundamentados numa exegese segura das Escrituras têm sido disponibilizados nos últimos tempos. Parece que a Bíblia tornou-se uma referência secundária para muitos. Em minha perspectiva, vivemos uma situação dramática: autores de perfil prático falam de liderança sem qualquer fundamentação exegética, enquanto que autores de perfil teológico e técnico pouco escrevem sobre questões práticas do cotidiano ministerial.
Foi nesse incômodo vazio literário que surgiu este opúsculo elaborado pelo conhecido estudioso do Novo Testamento D A Carson. O renomado erudito canadense é hoje um dos autores mais prolíficos e premiados da área bíblica no mundo de fala inglesa. Sem dúvida alguma, trata-se de um nome de peso que em muito tem contribuído para os estudos teológicos e exegéticos nas últimas décadas.
A partir de uma exposição de trechos escolhidos da epístola de Paulo de 1 Coríntios, Carson aborda exegética e expositivamente elementos fundamentais do texto que são úteis para a condução do ministério cristão. Deve ser destacado aqui que esta carta paulina tem muito a nos ensinar, visto que o apóstolo dos gentios discute questões essenciais para a prática da liderança e a condução do ministério cristão no contexto confuso de Corinto.
Como se pode facilmente perceber na leitura da obra, a ênfase do opúsculo de Carson é a cruz, marca do cristianismo bíblico. Em dias quando o mero pragmatismo tem sugerido que um bom líder cristão é apenas um gestor operacional eficiente que conhece elementos básicos de psicologia, Carson recupera o tom ético, marcado pela valiosa alteridade que permeia a espiritualidade neotestamentária. Em resumo, veremos que não é possível ser um líder sem desafiar o egoísmo e o pecado que está em nós e que prejudica o ministério cristão.
Está de parabéns a Editora Fiel pela escolha de uma obra tão sucinta, prática, objetiva e séria. Absolutamente relevante e útil para a igreja evangélica brasileira.
__________
Luiz Sayão - Pastor da Igreja Batista Nações Unidas, em São Paulo.

Comentários

Postagens mais visitadas