Vida que influencia

- Texto para reflexão: Vós sois a luz do mundo (Mateus 5.14).

Há muitos filmes americanos sobre escola, mas não como "Escritores da Liberdade" (Freedom Writers, EUA, 2007). Porque é o único filme dessa categoria que incentiva os alunos a lerem literatura, ponto de partida para testar a vocação de cada um para escrever dede um diário sobre o cotidiano trágico de suas vidas até uma poesia hip hop ou um livro de ficção. Cansada do trabalho em empresas que desenvolvia até aquele momento e desiludida quanto às possibilidades de crescimento e realização pessoal naquele âmbito profissional, a jovem Erin Gruwell (Hillary Swank) resolve mudar de ares e dedicar-se à educação. Assume então uma turma de alunos problemáticos de uma escola que não está nem um pouco disposta a investir ou mesmo acreditar naqueles garotos.
A nova professora é vista por todos como representante do domínio dos brancos nos Estados Unidos. Os estudantes a entendem como responsável por fazer com que eles se sujeitem a dominação dos valores dos brancos perpetrados nas escolas. Suas iniciativas para conseguir quebrar essas barreiras aos relacionamentos dentro da sala de aula vão, uma a uma, resultando em frustrações.
Apesar de aos poucos demonstrar desânimo em relação às chances de êxito no trabalho com aquele grupo, Erin não desiste de sua empreitada. Mesmo não contando com o apoio da direção da escola e dos demais professores, ela acredita que há possibilidades reais de superar as mazelas sociais e étnicas ali existentes. Para isso, cria um projeto de leitura e escrita, iniciado com o livro “O Diário de Anne Frank”, em que os alunos poderão registrar em cadernos personalizados o que quiserem sobre suas vidas, relações, interações, idéias de mundo, leituras.
Ao criar um elo de contato com o mundo, Erin fornece aos alunos um elemento real de comunicação que permite aos mesmos se libertar de seus medos, anseios, aflições e inseguranças. Partindo do exemplo de Anne Frank, menina judia alemã, branca como a professora, que sofreu perseguições por parte dos nazistas até perder a vida durante a 2ª Guerra Mundial, Erin consegue mostrar aos alunos que os impedimentos e situações de exclusão e preconceito podem afetar a todos, independentemente da cor da pele, da origem étnica, da religião, do saldo bancário.
“Escritores da Liberdade” é uma fabulosa história de vida que nos mostra como as palavras podem emancipar as pessoas e de que forma a educação, a cultura e o conhecimento são as bases para que um mundo melhor realmente aconteça e se efetive. Mas, ele é um convite para vermos o quanto necessitamos olhar para a necessidade de sermos luz para a vida humana que não conhece o Evangelho que impacta e transforma a vida!
A Bíblia diz que somos a luz do mundo, somos a luz que ilumina a vida humana que está totalmente perdida e sem referencial. Essa é uma profunda responsabilidade que o Senhor Jesus nos deu, a de sermos luzeiros seus. Luzeiros que amam ao próximo como a si mesmo. Ensino cristão baseado nas palavras de Jesus Cristo que não é devidamente compreendido como deveria. Poucos são aqueles que extrapolam a compreensão mais imediata do de ser luz que brilha no meio da escuridão.
Precisamos influenciar como luz do mundo que brilha através da vida. Através dos valores de dignidade, honestidade. Através do princípio de que o homem nasceu para glorificar a Deus e servi-lo com a vida. Seja como profissional que ensina, que desenvolve projetos, que escreve, que dirige um carro ou atende num balcão de serviços.
Uma frase que ecoou no meu coração foi da mulher que protegeu Anne Frank. O rapaz diz que ela é a heroína dela. E ela responde: Vocês é que são heróis onde estão. Através da história e vida, vocês podem ser pequenas luzes que brilham no meio do mundo escuro.
Que sejamos os luzeiros de Deus para uma influencia preciosa na vida humana!


__________________
Alcindo Almeida

Comentários

Postagens mais visitadas