Antes de partir...........

Acredito que devemos pensar e realizar algumas coisas na vida, antes da morte, passam desapercebidas por nós. Na verdade, são tantas coisas que poderíamos fazer e deixamos para depois! E quando é chegada a hora de partir desta vida, olhamos para trás e percebemos que não valorizamos várias questões na vida!
Quantos param para pensar sobre este momento da partida? Eu vi este filme Antes de partir e foi um verdadeiro serrmão para o meu coração. Você começa a ver o filme e não se distrai em nenhum momento.
Nicholson vive Edward Cole, milionário gestor de hospitais cujo lema é um número: dois leitos por quarto, nunca menos. Freeman é Carter Chambers, um mecânico que abandonou seus sonhos de juventude quando viu que teria uma família para alimentar.
Quando os dois ficam fulminantemente doentes, seus caminhos se cruzam. E se cruzam porque, para não desonrar seu lema, Edward, o dono do hospital, acaba no mesmo quarto de Carter. O estranhamento inicial logo se transforma em apoio mútuo. Ambos têm poucos meses de vida, e só um doente terminal para entender o tipo de drama que o outro vivencia.
Do nada, Edward convence Carter a fugir e botar em prática uma lista de últimos - e excêntricos - desejos antes de "baterem as botas". Nos EUA, a expressão usada nesses casos é "chutar o balde", daí o título original do filme: A Lista do Balde. Este filme nos lembra a todo instante da situação pela qual todos nós um dia passaremos: o enfrantamento da morte.
Eles decidem viajar pelo mundo para aproveitar seus últimos meses de vida. E quando chegam no Egito, Carter pergunta a Edward Cole: Você conhece o que a crença egípcia fala sobre o que deve fazer após a morte para adentrar no céu? Ele diz que não! Carter fala -que a pessoa precisava responder a duas perguntas: Você foi feliz em sua vida? E a segunda é: Você trouxe alegria aos que estavam à sua volta?
Estas perguntas precisam fazer parte da nossa vida. Precisamos perceber se nos momentos que vivemos aqui temos alegria na presença do criador. Porque se não tivermos esta alegria não dá para fazer lista alguma. Porque saberemos imediatamente que não somos felizes. E algo relevante é quando percebemos também que de alguma maneira geramos alegria na vida das pessoas.
Conto uma pequena história da nossa Associação Benefeciente Betsaida. Há um projeto chamado Abrigo. Ele atende crianças que foram abandonadas e de alguma maneira sofreram algum dano na vida. Um dia chegou uma minina encantadora no nosso meio (Alessandra - nome fictício). Essa menina tinha medo de todos os homens.
Ela não poderia me ver porque sou moreno e isto mexia com as suas lembranças ruins. Levou muito tempo para ela não se retrair quando eu chegava no Abrigo. E um dia eu disse a ela: "Querida, aqui ninguém jamais fará mal a você. Aqui todos nós a amamos e queremos vê-la feliz e completa na presença de Deus".
Um dia ela foi na minha sala e quando me viu correu e me abraçou e me beijou. Precisamos ter alegria na vida e gerar alegria na vida daqueles que nos cercam. Porque do contrário, não valerá de nada passarmos pela vida. Antes de partir precisamos nos perguntar: tivemos alegria na vida? Geramos alegria na vida das pessoas?
______________________________
Alcindo Almeida - membro da equipe pastoral da IP Lapa.

Você também pode gostar

0 comentários