A Palavra de Deus penetra tudo em nós


O texto de Hebreus 4 no versículo 12 afirma: E penetra até a divisão de alma e espírito e de juntas e medulas.
A Palavra de Deus é poderosa para verificar todas as afeições do nosso coração. Tanto as intelectuais como as emocionais. A idéia de divisão de alma e espírito, de juntas e medulas é que ela testa a alma toda de um ser humano. Ela explora todos os pensamentos e sonda toda a nossa vontade e desejos do nosso coração. Ela penetra as juntas expressando que não há nada oculto numa pessoa que ela não descubra.
A Palavra sonda o coração da pessoa mais fechada do mundo. Ninguém é tão secreto que a Palavra não descubra os segredos. Ela vai lá ao mais profundo do ser humano e desvenda os mistérios do coração. Nada é melhor para o desenvolvimento da mente que contemplar a divindade através da Palavra de Deus. Trata-se de um assunto tão vasto que todos os nossos pensamentos se perdem em sua imensidão. É tão profundo que nosso orgulho desaparece em sua infinitude. Podemos compreender e aprender muitos outros temas derivando deles certa satisfação pessoal e pensando enquanto seguimos nosso caminho a ponto dizermos para nós mesmos: "Somos sábios demais". Mas, quando chegamos a esta ciência superior e descobrimos que nosso fio de prumo não consegue sondar sua profundidade e nossos olhos de águia não podem ver sua altura, nos afastamos pensando que o homem vaidoso pode ser sábio, mas não passa de um selvagem, exclamando então solenemente: "Nasci ontem e nada sei".
Como diz Dr. Packer:

“O melhor estudo para expandir a alma é a ciência de Cristo, e este crucificado, e o conhecimento da divindade na gloriosa trindade. Nada alargará mais o intelecto, nada expandirá mais a alma do homem que a investigação dedicada, cuidadosa e contínua do grande tema da divindade. Ao mesmo tempo que humilha e expande, este assunto é eminentemente consolador. Na contemplação de Cristo existe um bálsamo para cada ferida; na meditação sobre o Pai, há consolo para todas as tristezas, e na influência do Espírito Santo, alívio para todas as mágoas. Você quer esquecer sua tristeza? Quer livrar-se de seus cuidados? Então, vá, atire-se no mais profundo mar da divindade; perca-se na sua imensidão e sairá dele completamente descansado, reanimado e revigorado. Não conheço coisa que conforte mais a alma, acalmar as ondas da tristeza e da mágoa, pacificar os ventos da provação que a meditação piedosa a respeito da divindade” (PACKER, 2005, p.10).
Que a graça do eterno seja sobre nós para que experimentos a Palavra em nós!
CALVINO, João. Comentário aos Hebreus. São Paulo: Paracletos, 1997.
CHAMPLIN. R. N. O Novo Testamento Interpretado. São Paulo: CANDEIA, Vol. V, 1995.
PACKER, J. I. O Conhecimento de Deus. São Paulo: Mundo Cristão 2005.
PETERSON, Eugene. Coma este livro. São Paulo: Mundo Cristão, 2004.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Emoção X Razão: Mulheres agem de forma emocional, homens se comportam racionalmente

Estudo 26: A mulher sunamita: generosa e hospitaleira - (II Reis 4.8-37)

Homenagem na Betsaida